Mais uma obra de arte é quebrada no Centro Pompidou em Paris

Uma obra de plástico plexiglass doartista norte-americano Corey McCorkle caiu no chão e sequebrou em vários pedaços no Centro Pompidou em Paris porrazões desconhecidas, disse a galeria nesta quarta-feira, doisanos depois de dois incidentes similares. O centro Pompidou, famoso entre os turistas por sua fachadacruzada por grandes tubos coloridos, disse que a obra deMcCorkle de 14 quilogramas estava suspensa por um dispositivoque poderia levantar uma carga de até 160 kilogramas. A obra, entitulada "Scale Model of Three-Part BlindPassage, Showing the Intertwining, Spiral Staircases in theTallest Minaret in the World, Selimiye, Turkey", era parte deuma exposição no Pompidou chamada "Traços do Sagrado". A peça caiu no sábado, quebrando em dois pedaços grandes eum menor, disse o centro, acrescentando que antes do incidente,a ferramenta que era usada para pendurar a obra, havia sidoaprovada por especialistas. A galeria disse que já informou McCorkle do incidente elançou uma investigação sobre as causas do acontecimento. Em 2006, dois trabalhos dos artistas norte-americanos PeterAlexander e Craig Kauffman caíram de paredes e se quebraramdurante uma exibição dedicada à arte de Los Angeles do períodode 1955-85. A galeria descobriu que a obra "Untitled" de Alexanderhavia caído por que um membro da equipe não havia deixado que acola secasse pelo tempo suficiente em parte do trabalho. OPompidou pagou 28.000 dólares para a Franklin Parrasch Galleryde Nova York em compensação. O centro nunca descobriu o motivo da queda da obra de "Untitled Wall Relief" de Kauffman, 130 dias depois de serpendurada na parede. A galeria pagou 60.000 dólares decompensação ao Los Angeles County Museum of Art. (Reportagem de Estelle Shirbon)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.