Mais três obras de Edvard Munch são roubadas

Três das mais célebres obras do pintor norueguês Edvard Munch foram roubadas de um hotel ao sul da capital do país, Oslo, no domingo. O roubo aconteceu sete meses após duas das mais célebres pinturas do artista, O Grito e Madonna terem sido roubadas do Museu Munch, em Oslo, em um assalto a mão armada.Desta vez, os ladrões levaram duas litogravuras e uma aquarela, que estavam sendo exibidas no restaurante de um hotel. Especialistas avaliam que as obras roubadas custariam cerca de US$ 320 mil (cerca de R$ 850 mil), valor muito inferior ao de O Grito. Eles acreditam também que será muito difícil vender as obras, já que elas são muito conhecidas para ser adquiridas por colecionadores.O hotel onde ocorreu o roubo exibe centenas de pinturas de artistas noruegueses, mas nenhuma delas está protegida por alarmes. A administração do hotel disse que não havia necessidade para a instalação de alarmes, uma vez que o hotel conta com pessoas trabalhando 24 horas por dia.Segundo a polícia norueguesa, ainda é cedo para determinar se o roubo no hotel tem ligação com o roubo no Museu Munch, no ano passado. Desde agosto do ano passado, quando O Grito foi roubado, o Museu Munch foi fechado para ser submetido a um reforço de sua segurança. Ambos O Grito como Madonna ainda não foram recuperados.

Agencia Estado,

07 de março de 2005 | 11h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.