Mais dois clássicos de Ford no TCM

Entrega em Domicílio

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2010 | 00h00

14H15 NO SBT

(Overnight Delivery). EUA, 1997. Direção de Jason Bloom, com Reese Witherspoon, Paul Rudd, Christine Taylor.

Antes de receber o Oscar por Johnny & June Reese Whiterspoon fazia comédias como esta (e, depois, a série Legalmente Loira). Na história, Paul Rudd pensa que está sendo traído pela namorada e a amiga Reese - muy amiga - o convence a lhe enviar uma carta desaforada. Ao descobrir que a garota sempre lhe foi fiel, ambos - Rudd e Reese - tentam impedir que a tal carta chegue ao destino. O filme pode não ser grande coisa, mas os atores estão bem. Reprise, colorido, 87 min.

A Filha do Presidente

15H40 NA GLOBO

(My Date with the President"s Daughter). EUA, 1998. Direção de Alex Zamm, com Dabney Coleman, Will Friedle, Elisabeth Harnois.

Existem várias comédias sobre "primeiras filhas" - incluindo uma com Katie Holmes - e esta não foge ao padrão. É duro ser adolescente e, pior, viver cercada de agentes de segurança, que vigiam todos os seus passos. Elizabeth Harnois, a primeira filha, e seu novo namorado (Will Friedle) driblam os seguranças, mas o presidente fica preocupado e a caçada aos dois vira prioridade do governo. Poderia ser interessante, ou divertido, mas é bom não esperar muita coisa. Reprise, colorido, 103 min.

Licença para Casar

23H15 NO SBT

(License To Wed) EUA, 2007. Direção de Ken Kwapis, com Robin Williams, John Krasinski, Mandy Moore, Roxanne Hart, Grace Zabriskie.

Robin Williams faz reverendo que submete casal a duras provas para testar se eles estão mesmo preparados para o casamento. Uma das regras impede que tenham relações sexuais antes da união. Leonard Maltin não exagera ao dizer, em seu guia, que se trata de uma comédia embaraçosa, sem graça e que desperdiça um ótimo elenco. Inédito, colorido, 90 min.

Intercine

1H55 NA GLOBO

A Globo exibe o preferido do público entre - Casanova, de Lasse Hallström, com Heath Ledger na pele do famoso conquistador; o problema é que ele se enamora de Sienna Miller, uma pré-feminista que vai resistir aos seus avanços; Jeremy Irons e Lena Olin estão no elenco; e O Chacal, de Michael Caton-Jones, com Richard Gere, Bruce Willis e Sidney Poitier, sobre os esforços combinados do FBI e da KGB para caçar criminoso que é mestre do disfarce; o próprio filme é um remake disfarçado de O Dia do Chacal, de Fred Zinnemann, de 1973. Lá, o alvo era o presidente da França, De Gaulle; aqui, a primeira-dama dos EUA.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, o preferido do público entre - Bobby Jones - A Lenda do Golfe, de Rowdy Herrington, com James Caviezel, Claire Forlani, Jeremy Northam, Malcolm McDowell e Aidan Quinn, sobre jogador que enfrenta doença debilitante e adversários poderosos, mas, com a ajuda da mulher, vira a lenda do título (EUA, 2004, fone 0800-70-9011); O Homem Sem Sombra, de Paul Verhoeven, com Kevin Bacon, Elisabeth Shue, Josh Brolin e William Devane, livre adaptação do original de W.G. Wells, sobre cientista que vira cobaia da própria experiência de invisibilidade; o problema é que ele começa a se sentir poderoso e o diretor aproveita para discutir a impunidade como degrau para o fascismo (EUA, 2000, fone 0800-70-9012).

TV Paga

O Delator

22 H NO TCM

(The Informer). EUA, 1935. Direção de John Ford, com Victor McLaglen, Heather Angel, Preston Foster, Wallace Ford, Una O"Connor.

John Ford ganhou o primeiro de seus quatro Oscars de direção, um recorde da Academia de Hollywood, por este drama que adaptou do livro de Liam O"Flaherty. Outros prêmios foram para o roteirista Dudley Nichols, o compositor Max Steiner e o ator Victor McLaglen, que faz o protagonista, um bêbado que se torna delator, entregando amigos durante a rebelião irlandesa de 1922 (contra a ocupação britânica). O visual "expressionista" - e algo forçado, artificial - do filme ficou datado, mas o relato não perdeu a força. A mesma história já havia sido filmada em 1929 e foi retomada por Jules Dassin (como O Poder Negro, em 1968). Ao contrário do que foi informado ontem na coluna, a retrospectiva de John Ford não ocorre só às segundas no TCM. Às terças, também, durante todo o mês de junho. Reprise, preto e branco, colorido,91 min.

O Céu Mandou Alguém

23H35 NO TCM

(The Three Godfathers). EUA, 1949. Direção de John Ford, com John Wayne, Pedro Armendariz, Harry Carey Jr., Ward Bond, Mae Marsh.

Três bandidos em fuga socorrem mulher no deserto. Ela morre depois de dar à luz um bebê, que confia ao trio, na expectativa de que o entreguem a seus familiares. A mesma história teve várias versões, antes e depois. A de Ford é sentimental, mas lindamente filmada e interpretada. Ford dedica o filme a Harry Carey, cujo filho interpreta um dos "padrinhos". Carey foi o primeiro astro do cinema do grande diretor e a dedicatória é emocionante - "To Harry Carey, bright star in the sky of the western", para HC, estrela brilhante no céu do western. Reprise, colorido, 105 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.