Mais ainda, um criador gráfico

São telas pintadas a óleo, mas o artista Amilcar de Castro chamava de desenhos essas obras pictóricas. "Para ele, o gesto contido no ato de desenhar era fundamentalmente a criação de um espaço", escreve a crítica Taisa Palhares no texto que acompanha a atual exposição do artista. Formas como quadrados e linhas são exploradas em pinturas maiores ou menores - principalmente a partir dos anos 1980 -, mas sempre com cores primárias e com o preto e o branco. Amilcar de Castro também era um artista gráfico por excelência. Vale a pena sempre lembrar que ele realizou, entre 1957 e 1959, a histórica reforma gráfica do Jornal do Brasil. / C.M.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.