Magritte brilha em leilão da Christie's

Magritte brilha em leilão da Christie's

O quadro 'Les Jours Gigantesques', pintado pelo artista em 1928, alcançou 11,3 milhões de dólares

REUTERS

21 de junho de 2012 | 12h50

O artista belga René Magritte foi o grande astro da noite de quarta-feira no leilão de arte impressionista e moderna da casa Christie's, confirmando o grande apetite dos colecionadores por obras surrealistas.

Les Jours Gigantesques (1928) alcançou 7,2 milhões de libras (11,3 milhões de dólares), várias vezes a estimativa pré-venda, que era de 800 mil a 1,5 milhão de libras. Era o segundo item mais valorizado de Magritte nessa venda.

O jornal The New York Times disse que o comprador da tela, que mostra uma mulher sendo atacada, foi o financista Wilbur Ross. Dez pessoas disputaram a compra lance a lance.

A obra mais cara do leilão foi Femme Assise (1949), de Pablo Picasso, que saiu por 8,6 milhões de libras, superando a estimativa de 5 a 7,5 milhões. A estimativa pré-venda não inclui a comissão do leiloeiro, mas o valor final inclui. No caso da Christie's, a comissão é de 12 por cento para qualquer coisa que supere 500 mil libras.

A Christie's esperava arrecadar 86,5 a 126,7 milhões de libras com as obras, e acabou conseguindo 92,5 milhões.

Outros destaques da noite foram: Femme au Chien (Picasso, 1962), por 7 milhões de libras, e La Corne d'Or. Les Minarets (Paul Signa, 1907), 6,2 milhões.

(Reportagem de Mike Collett-White)

Tudo o que sabemos sobre:
ARTEMAGRITTELEILO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.