Magia ainda tem chão em Bole Bole

'Saramandaia' reserva mais cenas de realismo fantástico até o dia 27

/ C.P., O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2013 | 02h19

Depois que Cazuza (Marcos Palmeira) botou o coração pela boca, Aristóbulo (Gabriel Braga Nunes) virou lobisomem, João Gibão (Sérgio Guizé) exibiu as asas, Zico Rosado (José Mayer) expeliu toneladas de formigas pelo nariz e Dona Redonda (Vera Holtz) explodiu, o que mais falta acontecer em Saramandaia? Autor da adaptação sobre o original de Dias Gomes, Ricardo Linhares garante que ainda tem muitas histórias fantásticas a mostrar até o dia 27, quando vai ao ar o capítulo final. E não se esquiva de contar ao Estado as últimas 'saramandices'.

"Saber que a Dona Redonda vai explodir é uma coisa. Curtir a cena é outra", diz. "Eu nunca segurei acontecimentos em Saramandaia. Abri o primeiro capítulo com Leocádia (Renata Sorrah) cortando as asas do filho, para mostrar de cara ao espectador que Gibão é alado. E fiz o personagem voar pouco depois da metade da trama, o que o Dias fez só na última cena do último capítulo."

A seguir, o autor conta o que está por vir. Só não dá detalhes sobre o fim de Zico Rosado. Diz que fará algo um pouco diferente da versão original, quando o personagem morria soterrado pela própria casa, que desabava por obra de tantas formigas a devorá-la. No mais, eis o que está reservado a quem:

"Candinha (Fernanda Montenegro) e Tibério (Tarcísio Meira) vão virar árvore. Tibério consegue se levantar, arranca as raízes do assoalho e sai de casa arrastando-as. Ele pega Candinha na fazenda, no clímax de uma sequência de revelação de segredos familiares. No descampado, eles se beijam e se abraçam, e as raízes dele penetram no solo. Os corpos deles se transformam em tronco, os braços viram galhos e eles se tornam uma única árvore."

Aristóbulo. "O fantasma de Adélia, ex-noiva de Aristóbulo, vai reaparecer. Risoleta (Débora Bloch) vai descobrir como ela 'desviveu'. A insônia culpada de Aristóbulo começou neste momento. Com a revelação, Aristóbulo finalmente volta a dormir, após mais de 10 anos de 'insonismo' juramentado. E o fantasma vai embora. Aristóbulo e Risoleta se casam na igreja. E o padre será excomungado. Supostamente, o casamento é 'apenasmente' entre homem e mulher, com o fim de procriar. E lobisomens não podem ter filhos."

"Stela e Tiago (Laura Neiva e Pedro Tergolina) fogem, para impedir que Zico mande a neta para o exterior. O capanga de Zico vai perseguir o casal, haverá um acidente na estrada e Tiago vai morrer, cumprindo uma visão de Gibão. Mas Stela fará com que Tiago reviva, com suas lágrimas curativas."

Zélia (Leandra Leal) "vai ter um bebê com asas. E o nascimento do sobrinho com 'diferencice' faz com que Gibão revele a sua natureza, o que trará graves consequências à família."

Redonda. "A prefeitura manda tapar a cratera que surgiu no local da explosão de Redonda. Nasce ali uma flor roliça que cresce rapidamente, atingindo mais de 2 metros. A flor exala um cheiro fortíssimo, o mesmo perfume que Redonda usava, mas mais intenso. Os moradores vão chamar de 'fedorume', mistura de fedor e perfume. Encolheu acredita que Dondinha-flor é a 'adefuntada' revivida. Ele fica ensandecido e vai impedir que a flor seja cortada. Bitela, irmã gêmea de Redonda, chega para tentar ajudar o cunhado. Ela revela que todas as mulheres da família se transformam em flor quando 'desvivem'. A mãe delas se tornou um lírio gigante, e a avó virou um crisântemo graúdo. Segundo a tradição familiar, a flor tem que ser cortada para que Redonda faça seu passamento. Encolheu aceita cortar a flor, que sobe magicamente aos céus como se fosse um balão. E Bitela, que no passado foi apaixonada por Encolheu, tenta reconquistá-lo."

Linhares conta que o final de Zico e Vitória (Lilia Cabral) também será "mágico". Saramandaia tem o seu "mesadão", quando Zico tenta comprar os vereadores para aprovar novo plebiscito, e Gibão denuncia o propinoduto. "O tema da novela é a busca pela liberdade e o respeito às diferenças".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.