Maestro encerra seu ciclo Mahler

Quinze anos depois, Pierre Boulez encerra sua integral da obra de Gustav Mahler com um disco dedicado às canções do ciclo Des Knaben Wunderhorn e ao Adagio da Sinfonia nº 10, deixado incompleta pelo compositor.

João Luiz Sampaio, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2011 | 00h00

A consistência ao longo de todos esses anos chama a atenção: no Adagio, Boulez, acusado de interpretações cerebrais demais, mantém a marca de suas leituras das sinfonias do compositor, com uma atenção aos detalhes que muitas vezes torna tediosa e antisséptica a escuta.

Já nas canções, o resultado é mais cativante. Aqui, o cuidado excessivo com a construção formal leva o acompanhamento orquestral em direção a uma clareza de texturas que o faz dialogar com a voz ao mesmo tempo em que dá aos solistas primazia. A escolha funciona por conta dos cantores convocados para o registro: a meio-soprano Magdalena Kozena e o barítono Christian Gerhaher. Ela tem um timbre escuro; ele é um barítono leve, de cores claras. O resultado são leituras repletas de contraste, em que cada canção surge como um mundo à parte, ao mesmo tempo em que dialogam entre si, retratando de maneira convincente o universo dos textos que marcaram profundamente o jovem Mahler.

DES KNABEN WUNDERHORN

Pierre Boulez

Orquestra

da Filadélfia

DG/R$ 62

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.