Madonna manda seu recado às crianças

Madonna lança hoje em todo o mundo As Rosas Inglesas, sua incursão pela literatura infantil. É o primeiro de uma série de cinco livros que a cantora americana (nasceu em Bay City, no Michigan) vai fazer para a editora Callaway e o grupo Penguin Books. Será lançado em 30 línguas e mais de 100 países, numa tiragem de mais de 1 milhão de exemplares (e o preço de cada livro ilustrado, de 48 páginas, será de U$ 13,97). No Brasil, a edição - que também sai nesta segunda - é da Rocco.As Rosas Inglesas narra a história de quatro garotas que decidem abandonar a bela e solitária Binah do grupo. Mãe de Lourdes Maria (Lola, de 6 anos), com Carlos León, e de Rocco (3 anos), seu filho com o cineasta inglês Guy Ritchie, Madonna diz que o livro tem muitos traços biográficos. "Minha filha também é, de certa forma, um pouco Binah, porque na escola freqüentemente as crianças podem ser bem más e isolá-la por eu ser sua mãe." Madonna, como mãe, não permite que palavrões sejam falados em casa.Em uma longa entrevista ao jornal The Times, explicando suas motivações para estrear na literatura infantil, Madonna disse que desde os cinco anos, quando perdeu a mãe, sempre se sentiu muito sozinha e que passou grande parte de sua vida escolar sem fazer amigos. "Só preenchi meu vazio quando fiquei famosa", disse ela. "Eu me sentia muito esquisita e deslocada na escola. Não era popular, nem atraente, nem tinha nada de especial e eu queria ser amada e aprovada por alguém", revelou.A inspiração para escrever um livro para crianças veio em uma noite em que lia um livro para os filhos. Madonna tem, como não poderia deixar de ser, uma visão bem peculiar dos personagens clássicos da literatura infantil. "Sabe que as mulheres em Cinderela, Bela Adormecida ou Branca de Neve são muito passivas? Elas não tomam atitudes. Elas apenas aparecem, são lindas, são achadas pelos príncipes que dizem que querem casar com elas e eles vivem felizes para sempre. Eu pensei: o que uma garota deve tirar disso? Isso é muita bobagem", disse a diva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.