Madonna lança 1 milhão de cópias de livro infantil

Durante duas décadas, Madonna ganhou uma reputação por assumir riscos de marketing - pense em seu polêmico livro de fotografias de 1992, Sex. Mas sua aposta mais recente, a segunda investida da cantora no mundo editorial, pode ser uma de suas maiores até agora, muito embora seja voltada para uma audiência bem diferente. Este mês, o primeiro livro infantil da diva pop, As Rosas Inglesas, irá inundar livrarias com mais de 1 milhão de cópias em mais de 100 países e em 30 línguas ao mesmo tempo, no dia 15, graças a um inusitado arranjo editorial combinado à tecnologia digital de impressão.Normalmente, até mesmo livros badalados como o mais recente Harry potter são primeiro lançados em inglês, já que leva meses para se traduzir e imprimir um grande livro. Mas a principal editora de madonna, a empresa nova-iorquina de capital fechado Callaway Editions Inc., optou pela abordagem de massa para capitalizar sobre a celebridade global. A Callaway também está aproveitando-se de recentes avanços em compartilhamento digital de arquivos e tecnologia de impressão e numa rede de relacionamentos entre editores."Nunca fizemos nada asim, tudo ao mesmo tempo", diz Giancarlo Stavro Santarosa, co-presidente da italiana Editoriale Lloyd, que é somente uma das muits gráficas mundo afora que es´tão trabalhando para produzir o elegantemente ilustrado As Rosas Inglesas.Nichols Callaway, presidente da Callaway Editions,descreve o arranjo editorial como um "consórcio de continentes". Editoras ao redor do mundo estão usando gráficas que têm capacidade tecnológica pra mudar suas prensas rapidamente para imprimir em diferentes línguas. Uma gráfica em Ohio, por exemplo, está imprimindo as 750 cópis da edição em ing´lês da Callaway para os EUA, assim como uma edição em espanhol para os EUA e uma em francês para o Canadá, ambas para a editora subisidiária Scholastic Inc. No norte da itália, a Editoriale Lloyd SRL está imprimindo cópias em 18 línguas européias, do francês ao feroês, das Ilhas Feroé, de 47 mil habitantes, ao norte da Escócia. No Brasil, o livro será lançado pela Editora Rocco Ltda. A Rocco não divulga a tiragem de suas edições e o preço não está definido, disse uma porta-voz.Por casa da gigantesca tiragem, as editoras individuais economizam dinheiro: as gráficas conseguem preços melhores para o papel e as editoras economizam custos iniciais relacionados com o processamento das ilustrações. H. Aschhoug & Co., a editora norueguesa do livro, espera economizar pelo menos 30% em custos de impressão em sua tiragem inicial de 8 mil cópias. O método de consórcio economiza às editoras ainda mais se precisarem de reimpressões rapidamente. "Teremos 1.000 cópias na primeira tiragem", diz Niels Jakup Thomsen, diretor-gerente da editora Bokadeild Foroya Laerarafelags das Ilhas Feroé. "Se precisarmos de mais 300 cópias, seria impossível para nós fazer isso sozinhos porque o custo seria simplesmente alto demais".Ajudando o processo está a tecnologia digital, que aumentou muito a velocidade com que se preparam as chapas para impressão em diferentes línguas. As impressoras mais recentes permitem que as chapas sejam trocadas muito mais rapidamente. Métodos mais antigos de impressão exigiam até duas horas para a troca de idiomas, mas "agora podemos trocar de língua em 15 ou 17 minutos", diz Stavro Santarosa, da Editoriale Lloyd.O livro de 48 páginas, o primeiro de uma série de cinco a serem publicados da mesma maneira, se passa na Inglaterra contemporânea e é divulgado como um conto de "inveja, rivalidade, ciúmes e, no fim, amizade" com um forte moral. "Embora tenha me visto vendo muitas coisas nesta vida, escrever livros infantis nunca foi uma delas", diz Madonna. "Entretanto, sou mãe de duas crianças agora e educar crianças nos torna mais responsáveis e nos faz pensar mais sobre nossas próprias ações e suas conseqüências para aqueles à nossa volta".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.