A edição de setembro da revista "Playboy" dos Estados Unidos trará, além das modelos habituais, uma parte do romance "Madame Bovary", considerada pela revista como "o romance mais escandaloso de todos os tempos.

27 de agosto de 2010 | 15h58

 

O magnata e fundador da revista Hugh Hefner disse, em sua página no Twitter, que o romance é uma "grande leitura". A revista publica um trecho da obra do francês Gustave Flaubert, traduzido por Lydia Davis, escritora e crítica americana especializada em literatura francesa, que traduziu obras de outros grandes nomes, como Marcel Proust e Michel Foucault.

 

"Madame Bovary" narra a história de Emma, uma jovem que é casada por conveniência com um renomado médico. Triste e insatisfeita, procura em outros homens a felicidade que nunca teve com o marido.

 

Publicada em 1857, após cinco anos de elaboração, a obra descreve os costumes da pequena burguesia de províncias durante o Segundo Império francês, e foi um escândalo para a época, algo que parece ter feito Hefner homenagear a desventurada Emma. Flaubert foi, inclusive, processado sob a acusação de ter escrito uma obra que atentava "contra a moral pública e religiosa e os bons costumes", mas saiu vitorioso do julgamento.

 

A nova tradução será vendida a partir de 23 de setembro, publicada pela editora Penguin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.