Máchina alcança US$ 722,5 mil

Bem acima da estimativa pela qual foram oferecidos, quadros das brasileiras Beatriz Milhazes e Adriana Varejão ficaram na lista dos lotes vendidos pelos preços mais altos no leilão de arte latino-americana, quarta-feira à noite, na Christie"s de Nova York. Machina, acrílica sobre tela (100,3 cm x 193 cm) pintado por Beatriz entre 1993 e 1994 e avaliado entre US$ 200 mil e US$ 300 mil, foi adquirido por US$ 722,5 mil, o quarto maior valor da noite. O leilão foi liderado pelo óleo sobre tela Family Scene (1985), do colombiano Fernando Botero, vendido por US$ 1.706,5 milhão (os preços incluem a comissão da Christie"s). Quatro dos 11 trabalhos de Botero no leilão ficaram entre os dez que obtiveram maior preço.

Tonica Chagas ESPECIAL PARA O ESTADO NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2010 | 00h00

Paisagem Canibal, de Adriana Varejão (óleo e poliuretano sobre madeira, de 170 cm x 220 cm x 21 cm), executado em 2003 e estimado entre US$ 250 mil e US$ 350 mil, foi levado por US$ 602,5 mil - o sexto maior valor, igual ao que foi pago pelo Botero The Copyist (1974, óleo sobre tela, 181 cm x 193,7 cm, avaliado entre US$ 450 mil/US$ 650 mil) e por From the Cave of the Heart, do cubano Tomás Sanchez (2005, óleo sobre tela, 200 cm x 250 cm, estimado entre US$ 500 mil/US$ 700 mil).

Ainda entre as obras de preço mais alto ficaram um óleo sobre tela sem título pintado em 1942 pelo chileno Matta (1911-2002), com estimativa entre US$ 800 mil e US$ 1,2 milhão, que foi adquirido por US$ 842,5 mil, o mesmo valor pago por uma das duas provas de artista do bronze Seated Woman (2002), de Botero (estimado entre US$ 650 mil e US$ 850 mil), e pelo quadro Dos Personajes (1984, estimado entre US$ 400 mil e US$ 600 mil), do mexicano Rufino Tamayo (1899- 1991); Claustrophobia (1957, estimado entre US$ 600 mil/US$ 800 mil) e Danza al Sol (1948, entre. US$ 400 mil e US$ 600 mil), ambos também de Tamayo, foram vendidos, respectivamente, por US$ 782,5 mil e US$ 662,5 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.