REUTERS/Rose M. Prouser/CNN/Handout
REUTERS/Rose M. Prouser/CNN/Handout

Macaulay Culkin fala de Michael Jackson e teste desastroso para 'Era Uma Vez... em Hollywood'

Em entrevista a uma publicação, ator comentou acusações de assédio sexual contra o astro pop e sua tentativa de integrar o elenco do filme de Quentin Tarantino

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2020 | 10h10

Em entrevista à revista Esquire, o ator Macaulay Culkin revelou detalhes sobre o sucesso precoce, o astro Michael Jackson e a tentativa frustrada de fazer parte do elenco do filme Era Uma Vez... em Hollywood.

Sobre o astro pop, Culkin negou que tenha sofrido assédio sexual do Rei do Pop, como foi divulgado no documentário Leaving Neverland (2019). "Ele nunca fez nada comigo. Eu nunca o vi fazer nada", disse ao site. "Eu não teria nenhum motivo para esconder algo. O cara está morto. Não vou dizer que seria estiloso ou algo do tipo, mas agora seria um bom momento para falar. E se eu tivesse algo para falar sobre isso, eu totalmente faria", continuou.

O ator que atingiu o sucesso precoce nos filmes Esqueceram de Mim (1990) e Meu Primeiro Amor (1992), também comentou o incômodo que sentiu na infância. "Começou a parecer uma tarefa árdua. Eu estava dizendo: 'Eu quero ir para a escola - eu não tenho um ano inteiro de escola desde a primeira série."

Mas Culkin contou que apesar dos desafio, não desistiu totalmente da carreira. Ele quase fez parte do elenco do premiado Era Uma Vez em... Hollywood, de Quentin Tarantino. "Foi um desastre. Eu mesmo não teria me contratado. Eu sempre fui péssimo em testes de qualquer jeito", afirmou.

Ele ressaltou que foi seu primeiro teste em oito anos e não revelou qual papel iria interpretar no longa que rendeu Oscar de melhor design de produção e melhor ator coadjuvante para Brad Pitt.

No ano passado, Culkin voltou a atuar como coadjuvante em Changeland, uma comédia dramática de Seth Green. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.