"Macau" vence o Prêmio Portugal Telecom

A coletânea de poesias Macau, de Paulo Henriques Britto, foi a grande vencedora do Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira, entregue na noite de ontem. O segundo colocado foi o livro de contos O Vôo da Madrugada, de Sérgio Sant´Anna, e o terceiro lugar foi para o romance A Margem Imóvel do Rio, de Luís António de Assis Brasil. "O Prêmio Portugal Telecom foi criado há pouco tempo e já se estabeleceu como um dos mais importantes galardão da maior importância para a literatura brasileira. Vencê-lo representa uma grande satisfação", afirmou o poeta Paulo Henriques Britto. Nascido no Rio de Janeiro, Britto é professor e tradutor, tendo iniciado a sua carreira de poeta em 1982, com o livro Liturgia da Matéria, seguidos por Mímica Lírica (1989) e Trovar Claro (1997). Em Macau, Britto sugere, através de poesias de formas fixas, como o soneto, acompanhado por imagens prosaicas e por bom humor, que a linguagem é um território que precisa ser conquistado. "A seleção dos dez finalistas do Prêmio Portugal Telecom mostra um momento de grande diversidade na literatura brasileira, com diferentes vozes e estilos", disse Henriques Britto. O Vôo da Madrugada reúne 16 textos que misturam erotismo com especulação filosófica, sendo que o conto que dá título ao livro narra um vôo noturno que transporta parentes de pessoas mortas num acidente de avião. Sérgio Sant´Anna, um dos nomes de maior destaque da literatura brasileira contemporânea, salientou que as dez obras selecionadas para a final do Prêmio Portugal Telecom refletem "um conjunto de peso de obras inventivas". "Todos os gêneros foram contemplados, com autores estreantes e outros que já publicaram muitas obras, o que garantiu um conjunto equilibrado", afirmou Luís António de Assis Brasil. O romance A Margem Imóvel do Rio narra a trajetória de um historiador enviado ao Estado do Rio Grande do Sul pelo último imperador brasileiro, D. Pedro II. A cerimônia de entrega do prêmio, criado em 2002 para celebrar a língua portuguesa e a literatura brasileira, reuniu cerca de 1.200 convidados, tendo como apresentadores o escritor Nelson Motta e a atriz Julia Lemmertz. O evento fez uma homenagem ao poeta Vinícius de Moraes, com a apresentação de suas principais canções nas vozes dos cantores Carlos Lyra e Olívia Byington. O Prêmio Portugal Telecom destacou as três melhores obras de criação literária (romance, conto, crônica, poesia e dramaturgia) publicadas em 2003, editadas em língua portuguesa, de autor brasileiro e em primeira edição no Brasil. Os vencedores receberam prêmios de R$ 100 mil, R$ 30 mil e R$ 20 mil, respectivamente o primeiro, segundo e terceiro colocados, além de um troféu criado pelo artista plástico Paulo Von Poser. A escolha foi feita por um júri de 10 nomes, escolhidos por 213 críticos literários e professores universitários de todas as regiões do Brasil. A lista dos dez finalistas incluiu ainda as obras Budapeste, de Chico Buarque de Holanda, Bangalô, de Marcelo Mirisola, Céu de Lona, de Décio Pignatari, Geografia Íntima do Deserto, de Micheliny Verunschk, Memórias Inventadas, de Manuel de Barros, Não Poemas, de Augusto Campos, e Mongólia, do escritor Bernardo Carvalho, um dos vencedores da edição de 2003 do prêmio.

Agencia Estado,

10 de novembro de 2004 | 11h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.