MAC expõe arquivo histórico do Exército

Abre nesta quarta-feira ao público paulistano a exposição Leituras Cartográficas, Históricas e Contemporâneas, com 40 mapas, plantas de cidades e outros documentos cartográficos dos séculos 18 e 19 cedidos pelo Arquivo Histórico do Exército. A mostra vai ocupar o anexo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC até o dia 1º de junho. É uma grande pedida para estudiosos, interessados e curiosos na história colonial do Brasil.O que o visitante vai ver são mapas fundamentais para as primeiras expansões territoriais do Brasil. Eles foram produzidos numa época (a partir do século 18) em que ainda valia o Tratado de Tordesilhas, que separava a América entre Portugal e Espanha, com boa parte do atual Brasil em poder dos reis espanhóis. Interessada em expandir o território português na América, a Coroa portuguesa contratou engenheiros militares portugueses, alemães e italianos. A função destes homens era seguir os bandeirantes que haviam cruzado o meridiano de Tordesilhas e desenhar os primeiros mapas da região que hoje engloba parte de São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Minas Gerais. "Os mapas comprovam a presença portuguesa na América espanhola, e mais tarde foram usados pelo Itamaraty para definir as fronteiras do País", diz o arquiteto, professor da USP e curador da mostra Nestor Goulart Reis. Nestor explica que houve expedições de bandeirantes partindo das capitanias de São Paulo, que subiam pelo território, e de Pernambuco, que desciam. Todas as expedições iam atrás do mesmo objetivo: encontrar jazidas de ouro. O encontro dos bandeirantes oriundos de São Paulo e de Pernambuco acabou acontecendo na região das Minas, que é hoje o estado de Minas Gerais. O encontro, segundo Nestor, gerou conflito e se encaixa no contexto da guerra dos Emboabas, em 1708. Pela versão histórica oficial, na guerra dos Emboabas a Coroa expulsou paulistas que haviam encontrado ouro na região das Minas. O que a mostra Leituras Cartográficas, Históricas e Contemporâneas traz de novidade é a exibição inédita de um importante sub-produto desta época de conflitos por território e formação do Brasil. A história da conquista territorial não é a única contada pelos mapas da exposição: os primórdios do planejamento urbano, com direito a projetos de prédios públicos, pontes, fortalezas e outros bens urbanos também datam desta época e são lembrados na exposição. Leituras Cartográficas, Históricas e Contemporâneas - MAC-USP, anexo. Rua da Reitoria, 109, Cidade Universitária, São Paulo. De hoje a 1º de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.