Lydon imagem renovada

Álbum de rock pesado This Is PiL é exemplo desta nova fase

GARY GRAFF , THE NEW YORK TIMES , O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h11

Como um Sex Pistol, Johnny Rotten governou o mundo por um curto período de tempo. Hoje, ele é John Lydon e só quer saber da Public Image Ltd. "Hoje eu sou Public Image Ltd. de corpo e alma, sempre serei", diz Lydon, 54 anos, que formou a banda após a Sex Pistols implodir em 1978 e relançou o grupo em 2009 após um intervalo de 17 anos. Para ele, a Pistols sempre foi boa de fazer, mas, criativamente não foi gratificante. "Public Image Ltd. não é uma banda, é outra coisa. É um interesse pessoal em seres humanos e emoções."

"É assim que nos descreveria: somos um laboratório; é uma celebração da vida." A festa da Public Image continua à toda. Lydon - com os ex-colegas do grupo, Lu Edmonds na guitarra e Bruce Smith na percussão, com o novo baixista Scott Firth - começou a nova fase com uma turnê pela Europa em 2009 e trouxe a banda para a América do Norte no ano seguinte, incluindo uma apresentação no Coachella Valley Music and Arts Festival, assim como a primeira apresentação em TV da Public Image em 18 anos, no programa Jimmy Kimmel Live, na rede ABC.

Este ano assistiu ao lançamento de This Is PiL, o primeiro álbum de estúdio do grupo em duas décadas. A Public Image produziu, financiou e lançou o disco de rock pesado, e a atual encarnação da banda é uma entidade orgulhosamente independente que, diz Lydon, não sente falta das armadilhas do mainstream da indústria musical.

"Não temos nenhum amparo - nenhuma companhia gravadora, patrocinadores", diz Lydon falando pelo telefone de sua casa em Los Angeles. "A única maneira de ganharmos dinheiro é com turnês e aí podemos fazer novos álbuns. É como nos velhos tempos da PiL, quando a Pistols foi para o brejo. Tive de raspar meu bolso. Pouca coisa mudou." Foi a Sex Pistols que fez Lydon, apresentando-se então como Johnny Rotten, uma figura de vanguarda do punk britânico dos anos 70. Apesar do impacto de ser levado ao Hall of Fame em 2006, a Sex Pistols desmoronou sob o peso da própria mitologia e do temperamento coletivo, deixando seus membros na pior e Lydon em busca de algo novo para fazer "o mais longe possível da badalação em torno da Pistols".

Ele foi parar na Jamaica com Richard Branson, chefe da Virgin Records. Foram umas férias de trabalho em que Lydon ajudou Branson a identificar artistas em ascensão do reggae.

Voltando à Inglaterra, Lydon uniu forças com o baixista Jah Wobble, um amigo do início dos anos 70. Unidos por gostos musicais amplos, eles procuraram músicos com sensibilidades afins, o ex-guitarrista da Clash, Keith Levene, e o baterista Jim Walker, que foi descoberto depois via um anúncio em Melody Maker. O nome da banda foi inspirado no romance The Public Image de Muriel Spark, de 1968, e a primeira canção foi Public Image que Lydon havia composto quando estava na Sex Pistols.

Lançada como single em 1978, Public Image chegou ao nono lugar nas paradas do Reino Unido e iniciou uma corrida de 15 anos para a Public Image Ltd. A banda lançou oito álbuns de estúdio que influenciaram subgêneros do rock pós-punk como industrial e ambiente.

Seu rol de 39 membros durante esse período informa sobre a volatilidade criativa do grupo, mas Lydon e companhia ocasionalmente colidiam com os gostos predominantes: após Public Image, Death Disco (1979), This Is Not a Love Song (1983) e Rose (1986), hits no Reino Unido, Disappointed (1989) chegou ao topo do Billboard.

A Public Image Ltd. também fez uma apresentação ruidosa e irreverente em maio de 1980 no programa American Bandstand durante a qual Lydon caminhou pelo meio do pessoal do estúdio e arrastou membros da plateia para o palco para dançar. "Foi muito divertido."

Depois de a banda rachar, em 1992, Lydon montou reuniões periódicas da Sex Pistols, mais recentemente em 2008. "Sempre tem a ver com pegar o grupo certo de pessoas, menos pelas habilidades musicais do que pelo caráter das pessoas envolvidas, e isso mudou como a própria música", conta. "Às vezes, as coisas se encaixam bem. É raro isso não ocorrer. Mas você não pode se forçar a uma situação. No caso do Radiohead, eu não sinto nenhuma emoção verdadeira. As palavras não fazem sentido. É apenas técnica e é irritante."

"Eu sou humano", garante. "Quero aprender alguma coisa, quero compartilhar alguma coisa e sentir alguma coisa." Alguns acontecimentos trágicos arrastaram Lydon de volta à Public Image Ltd. após quase duas décadas, incluindo a morte de seu pai, em 2009, e a batalha posterior de seu irmão contra um câncer na garganta. "Tenho muita dificuldade de lidar com a morte. Precisei de um descanso. Isso me levou a recuar ao passado e ouvir Death Disco, que compus sobre a morte de minha mãe. Isso me deu vontade de voltar ao palco e expressar esses sentimentos."

Lydon tinha uma ideia clara de como queria que fosse a nova Public Image Ltd. "Conhecia Bruce e Lu desde sempre; eles foram de fato as pessoas com quem trabalhei mais tempo. Se juntar nós três, você vai ter muitas influências diferentes. Depois acrescente Scott e nós quatro nos entendemos perfeitamente", ressalta.

"Precisei de 30 anos para compreender que não é preciso ficar numa banda se estranhando uns com os outros. Em uma de cada duas turmas em que estive, as pessoas viviam às turras, de modo que esta parece uma conquista e tanto." Após dois anos na estrada, a banda juntou dinheiro para um novo álbum. Lydon tinha várias ideias para canções, mas sua casa na Inglaterra foi destruída por um incêndio, levando seu trabalho com ela.

"Lembro de ir ao estúdio de gravação pensando 'estou ferrado', mas achei que aquilo devia ter ocorrido por um propósito, e de fato foi isso." Em vez de trabalhar em ideias já elaboradas, a Public Image Ltd. se instalou no Wincraft Studios e começou seu This Is PiL do zero.

"As canções foram saindo naturalmente." This Is PiL - com 12 faixas que formam um conjunto agressivo, mas diversificado - trouxe Lydon e companhia de novo para a estrada num momento historicamente significativo para a Sex Pistols. É o 35.º aniversário do único álbum do grupo, Never Mind the Bollocks (1982) e um caixa especial está sendo lançada neste mês.

Lydon recusou um convite para reunir novamente a banda para a Olimpíada em Londres. Sua razão: o produtor Danny Boyle insistiu em mudanças no material provocador da Sex Pistols.

"Se você censurar as palavras de qualquer canção, estará matando a honestidade, e isso eu não poderia tolerar. Então, dissemos que não queríamos nada com eles." / TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNIK

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.