Lula inaugura Bienal de Artes Visuais em Porto Alegre

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva inaugurou neste sábado em Porto Alegre a 4ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul. Em seu discurso, Lula aproveitou o ambiente apropriado à evocação das sensibilidades e disse que não acredita que um País com o tamanho do Brasil possa ter seus problemas solucionados apenas pela razão. Destacando que muitas vezes prefere deixar falar a emoção, Lula lembrou que já vinha dizendo há anos que o Brasil só daria certo quando tivesse um presidente capaz de governá-lo com a cabeça e com o coração. Aos 76 artistas dos 13 países participantes da exposição, Lula destacou que o povo brasileiro gosta de arte. Segundo ele, os pobres querem apenas conhecer as obras para depois surpreender os artistas dizendo se gostam delas ou não. ?Essa oportunidade nós devemos dar ao povo?. Lula também pediu que os artistas tenham paciência para ouvir e aprender com a cultura que o povo tem para exteriorizar.Num discurso recheado de elogios à capacidade dos expositores e de frases sobre as artes, que definiu como ?as mais belas janelas sobre a alma do ser humano e seu contexto social?, o presidente deixou pouco espaço para os temas políticos e econômicos. Ao lado do governador Germano Rigotto (PMDB). destacou a presença do vice-presidente uruguaio e de enviados dos governos chileno, argentino e mexicano, mas sugeriu que na próxima Bienal, em 2005, todos os chefes de Estado do Mercosul e países convidados participem do evento. Antes de entrar no salão do Santander Cultural, Lula ganhou do presidente da Bienal, Renato Malcon, uma escultura do artista Saint Clair Cemin, homenageado da exposição deste ano. Depois da inauguração, percorreu algumas galerias para ver as obras em exibição e seguiu para a prefeitura de Porto Alegre, onde foi homenageado com um almoço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.