Lula abre exposição sobre o Brasil na Unesco

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva abriu nesta quarta-feira, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em Paris, uma exposição que mostra os 60 anos de presença da organização no Brasil. Ao mesmo tempo, na Praça da Bastilha aconteciam os últimos preparativos para o show Viva Brasil!, que dará início esta noite às celebrações da festa nacional francesa. Lula foi recebido pelo diretor-geral da Unesco, Koichiro Matsuura. Também assistiram ao ato o ministro da Educação, Tarso Genro, o escritor Paulo Coelho e o fotógrafo Sebastião Salgado, entre outros. O presidente recebeu das mãos de Matsuura uma medalha de honra para lembrar sua passagem pela Unesco. A exposição apresenta com fotografias, gráficos, desenhos e textos os 60 anos de estreita colaboração entre a Unesco e o Brasil, um dos Estados fundadores da organização. O escritório da Unesco em Brasília é a maior de todas as unidades da organização no mundo. Na exposição, é apresentada a ampla rede de associações criada no Brasil, principalmente nos âmbitos da educação e integração social, para a realização de projetos sociais como Abrindo Espaços, Escola Aberta e Brasil Alfabetizado. Na abertura da exposição, foi apresentado também o livro O Berço da Desigualdade, uma obra de Salgado com textos do ex-ministro da Educação Cristovam Buarque, que também participou do ato. Ao mesmo tempo, a Praça da Bastilha se preparava para o show Viva Brasil!, que dará início esta noite às celebrações da festa nacional francesa. Os organizadores esperam a presença de 70 mil pessoas, entre elas o presidente brasileiro. No palco, instalado na célebre praça de Paris, vão se apresentar grandes nomes e revelações da música popular brasileira, reunidas por iniciativa do ministro brasileiro da Cultura, o cantor Gilberto Gil. O próprio Gil, Gal Costa, Jorge Ben Jor, Daniela Mercury, Seu Jorge, Lenine e o grupo baiano de dança e percussão Ilê Ayiê se sucederão no palco. A abertura do show ficará por conta de Henry Salvador, grande amante da música brasileira e, aos 87 anos, lenda viva da música francesa. "Na véspera do 14 de Julho, data da Queda da Bastilha e da festa nacional, celebraremos, ao lado do povo francês, esta data cívica e emblemática por excelência", declarou Gilberto Gil na apresentação do programa do show. O concerto é o primeiro ato das celebrações do 14 de Julho com cores brasileiras no Ano do Brasil na França. Amanhã, tropas brasileiras participarão do tradicional desfile militar, que terá a presença do presidente Lula como convidado de honra do presidente francês, Jacques Chirac. À noite, a Torre Eiffel e os fogos de artifício adotarão as cores do Brasil, iluminando o céu de Paris de verde e amarelo.

Agencia Estado,

13 de julho de 2005 | 15h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.