Luiz Tripolli resume 40 anos de imagens

A exposição que Luiz Tripolli inaugura hoje no Masp, Tripolli - 40 Anos de Fotografia, como diz o título, é uma retrospectiva de sua carreira, de seu olhar de "artista múltiplo", como definiu o crítico Rubens Fernandes Junior. Não há cronologia. As épocas estão misturadas e a mostra se inicia com um retrato de Paulo Autran, feito em 2003. "Misturei tudo porque, mesmo as imagens feitas há mais de 30 anos são atuais", diz o fotógrafo, que se mudou para São Paulo em 1968. Luiz Tripolli começou sua carreira de fotógrafo no Rio. Na década de 60, quando tinha 16 anos, durante suas andanças ele entrou num laboratório fotográfico e percebeu que "por meio daquela química, a imagem aparecia". Foi essa sua primeira revelação: um olhar podia ser captado e revelado. Naquela época, comprou uma câmera e também começou a produzir. Na exposição, optou por expor em 130 imagens - grande maioria em preto-e-branco - os trabalhos que fez para si, por meio de um exercício de liberdade que muitas vezes não se pode experimentar em trabalhos comerciais - há apenas uma série de foto publicitária na mostra, a da campanha da Pool, da década de 80. Na retrospectiva, eclética, há muitos retratos - "sou um apaixonado pelo ser humano"- de diversas personalidades da moda, teatro, cinema e música, entre outros - Paloma Picasso, Maria Rita, Fellini e Ney Matogrosso, por exemplo; há um bloco em que Tripolli homenageia fotógrafos que o influenciaram - e o expoente maior é Alberto Korda, autor da famosa foto de Che Guevara.Tripolli - 40 Anos de Fotografia. masp. Av. Paulista, 1.578, tel.: 3251-5644, 11h/18h. (fecha 2.ª). R$ 10. Até 1.º/5.

Agencia Estado,

09 de março de 2005 | 20h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.