Louvre empresta obras por 13 milhões de euros

O Retrato de Baldassar Castiglione, de Rafael, é uma das 185 obras que deixarão o Louvre em outubro para ser exposto no High Museum de Atlanta, nos Estados Unidos. O empréstimo das obras, que trará ao caixa do museu parisiense 13 milhões de euros, suscitou polêmicas em Paris.Serão ao todo 15 pinturas e dezenas de desenhos, de bronze e de objetos decorativos, que partirão para a Georgia em 14 de outubro deste ano e lá permanecerão por no máximo 11 meses, até 2 de setembro de 2007.Dentre as pinturas, além da obra de Rafael, já citada, encontram-se obras que pertencem à coleção do Louvre desde 1793, como São Mateus e o Anjo de Rembrandt, Os Pastores da Arcádia de Poussin, ou As Banhistas de Fragonard. É a primeira vez que o famoso museu parisiense empresta tantas obras de arte ao mesmo tempo e por um período tão longo.A lista de obras foi divulgada recentemente pelo museu norte-americano, enquanto o Louvre conservava um discreto silêncio a respeito. Provavelmente pelo fato de a notícia não ter agradado a muitos, pois assim que o museu parisiense confirmou o empréstimo das obras, a polêmica foi criada: o Louvre está sendo acusado de privar seu público de grandes obras por uma questão financeira.Trata-se de 13 milhões de euros, dos quais "os primeiros 7,5 milhões servirão para iniciar os trabalhos de renovação da sala de arte do século XVIII, cujo custo total é de 15 milhões de euros. Os outros 5,5 milhões permitirão o financiamento desta primeira exposição em Atlanta e a publicação dos catálogos", informou ao jornal francês Le Monde, o chefe do departamento de pinturas do Louvre, Vincent Pomarede.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.