Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Louis Vuitton declara que cigarro de Kate Moss era parte de desfile

Objeto pretendia complementar a teatralidade do tema 'femme fatale' que inspirou Marc Jacobs

EFE

10 de março de 2011 | 12h27

O polêmico cigarro que Kate Moss fumou nesta quarta-feira durante o desfile da Louis Vuitton em Paris foi uma licença programada pela grife, que pretendia complementar a teatralidade do tema "femme fatale" que inspirou a coleção de Marc Jacobs.

"Estava programado, não foi uma provocação", revelou à Agência Efe um porta-voz da Louis Vuitton que afirmou que "todo mundo compreendeu que (o cigarro) fazia parte do jogo de cena" do desfile.

Usando shorts justos, luvas de pele, botas de crocodilo, body abotoado com mangas flutuantes e tiara com diamantes, o retorno às passarelas de Kate, aos 37 anos e após vários escândalos por consumo de cocaína, não deixou ninguém indiferente.

O desfile chamou a atenção pela presença da ex-diva em Paris dez anos depois, e pela narração de Jacobs, que seduziu a plateia com uma proposta que buscou raízes na pornografia dos anos 1940 para recriar um universo lascivo com uma mulher imponente como protagonista.

Tudo o que sabemos sobre:
Kate MossLouis Vuittonmoda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.