Evan Agostini/Invision/AP
Evan Agostini/Invision/AP

Looks extravagantes, ternos coloridos e uma rosa branca formam o dress code do Grammy 2018

No tapete vermelho da premiação, a regra de ouro é causar o máximo possível - e mostrar um pouco de engajamento social em apoio à campanha 'Time's Up' também

Maria Rita Alonso, Especial Para O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2018 | 22h20

No tapete vermelho do Grammy os artistas estão mais preocupados em surpreender, fugir do comum e, de preferência, causar o máximo possível. Aqui não se trata de acertar ou errar, muito pelo contrário. Olha a Lady Gaga aí, dando um perfeito exemplo disso. Conhecida por usar e abusar da simbiose roupa versus música, ela não poupou esforços com seu macacão inteirinho rendado e transparente sob uma saiona rodada preta de tafetá de seda. Tudo over, tudo muito. Ombreiras pontudas, brincos gigantes, uma bota plataforma insana e um penteado digno do seriado Game of Thrones. A maquiagem pesada, dramática, alongando os olhos. Pronto, não decepcionou, escolheu um look a altura do mito fashion que é.

A coisa mais delicada em seu look era a pequena rosa branca em ato de protesto ao assédio sexual e em apoio à campanha #TimesUp. A adesão dos artistas ao movimento liderado por Meg Harkins, uma das executivas da Roc Nation, gravadora do rapper Jay-Z, ocorreu em peso, repetindo o sucesso da ação no Globo de Ouro. 

“Nós escolhemos a rosa branca porque é um símbolo historicamente associado a esperança, paz, simpatia e resistência”, afirmou Meg, em carta divulgada pelo Voices in Entertainment. “Junte-se a nós para apoiar a igualdade no ambiente de trabalho, uma liderança que represente a diversidade na sociedade, espaços sem assédio.”

Com ar de diva de Hollywood, Rita Ora surgiu matadora com um vestido com um decote marcante e uma fenda absurda. Em um visual lúdico, Lana Del Rey escolheu um longo nude da Gucci e coroa de estrelinhas brilhantes enquanto discursava sobre os direitos da mulher. Fergie, Kelly Clarkson, Bebe Rexha e Cyndi Lauper foram outras artistas que deram entrevistas divulgando o trabalho do Time’s Up.

Entre os homens, o tradicional terno preto não teve vez. Nick Jonas, por exemplo, usou sobretudo de lã assinado pelo estilista John Varvatos. O Dj Khaled apostou em um terno vinho, com grava borboleta da mesma cor - e levou seu filho, de um ano, usando um look igual ao seu. A maioria dos cantores, inclusive, estava elegantemente colorido. O descolado Ne-Yo foi com um blazer de veludo amarelo-ouro, um dos favoritos da noite, Donald Glover usou produção toda branca, apenas com sapatos pretos. 

No time dos mais ousados, o fashionista Jaden Smith (filho de Will) foi de calça jeans com remendos de tecido, jaqueta de tactel e tênis Balenciaga. Tyler, The Creator chamou atenção com o cabelo pintado com a padronagem de onça e uma echarpe azul clara com o monograma da Louis Vuitton. A turma da música, historicamente, sabe mesmo como lançar moda – ou, pelo menos, como se aproveitar muito bem dela.

Mais conteúdo sobre:
Grammy moda

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.