Longa, curta ou média, vale a qualidade

Permanências, o brasileiro em competição na Semana da Crítica 2011 é longa ou curta-metragem? "Média. Tem 34 minutos", responde Ricardo Alves Junior, diretor mineiro de 28 anos que faz sua estreia em Cannes (no dia 14) em um ano especial, em que a Semana completa 50 anos.

Flavia Guerra, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2011 | 00h00

Ricardo vem da escola de curtas e, como muitos jovens diretores, acha que a "bitola" da duração está fadada ao fim. "Filme bom é filme bom. Isso de deixar de selecionar um trabalho pelo tempo, pelo formato, digital ou película, está acabando. Vivemos um momento de transição e, cada vez mais, está tudo misturado. Tanto que em Cannes já não há mais essa restrição." Para ele, o festival também está atento ao novo cinema brasileiro. "Além dos temas e formas estarem cada vez mais variados, a produção, antes muito concentrada no eixo Rio-São Paulo, ganhou força em Minas, Pernambuco, no Sul. É muito bom ver que Cannes vê e reconhece isso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.