Lockdown é o escambau!

Reação instintiva

O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2013 | 02h15

Um momento em especial

marcou o tour de Ratinho guiado

por Dilma Rousseff pelo Palácio

da Alvorada durante a entrevista

que a presidente concedeu ao

apresentador: quando eles entraram na biblioteca da residência oficial,

teve livro que se jogou da estante! Ninguém se machucou!

Don Juan

Quem conhece o Renan Calheiros

desconfia que, ao exaltar a

imprensa como a "essência da

democracia", o senador pode

estar tão somente passando

uma cantada em alguma

jornalista de Brasília.

Não seria a primeira vez!

Foco dentário

Tem torcedor do Galo

responsabilizando o dentista

de Ronaldinho Gaúcho pela

contusão que pode afastá-lo do

Mundial de Clubes em Marrakech. Antes do tratamento estético na

boca, de fato, ele nunca havia

se contundido desse jeito.

Mal comparando

Um amigo secreto de Regina

Casé nas redes sociais tomou

as dores da apresentadora do

Esquenta após críticas no Twitter aos figurinos dela no programa: "Ridículo seria a Casé vestida

com aquela roupinha da Fernanda Lima no Amor & Sexo, né não?"

Faz sentido!

Vaselinagem

Antes mesmo de definido

pelo PSDB, o chamado "plano

antiatrito" entre Aécio Neves

e José Serra traçado pelos

tucanos já ganhou apelido

no meio político: "KY"!

Freud talvez explique! O pai da Psicanálise chamava de "neurose de angústia" o que hoje costuma ser diagnosticado como "transtorno do pânico", manifestação clínica de desamparo que está virando epidemia nos EUA. Nada mais explica o que aconteceu na tarde de quinta-feira, quando o país trancou as portas e se jogou no chão temendo ser atacado por um carro em disparada nas ruas de Washington.

E, mesmo depois de esclarecido tratar-se de uma mulher perturbada ao volante com uma filha pequena no banco de trás, os americanos não se deram conta do tamanho da paranoia em que estão vivendo: aplaudiram como heróis os policiais que abriram fogo - a imprensa chamou o fuzilamento de "tiroteio" - contra a motorista, a criancinha milagrosamente escapou viva.

A América venceu o medo até o próximo "lockdown", alerta de segurança para que todos se tranquem, apaguem a luz e deitem no chão. O próprio Freud não imaginou que o "mal-estar da civilização" pudesse chegar a este ponto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.