Livros censurados são tema de exposição

A Biblioteca Mário de Andrade, amais importante da cidade, abre nesta terça-feira umaexposição para lembrar duas malas de livros deixadas na porta dainstituição logo depois do início do regime militar. A mostraLivros versus Censura - A Biblioteca Municipal e a RepressãoMilitar quer, assim, discutir a perseguição às idéiasexpressas por livros considerados "perigosos" pelosgovernantes. O dono das malas, que permanece desconhecido,provavelmente quis, "esquecendo" as obras na porta dabiblioteca, livrar-se de 32 livros que poderiam comprometê-lo,mas também preservá-los - em vez de simplesmente jogá-los foraou queimá-los.Entre os títulos deixados ali estavam Introdução à RevoluçãoBrasileira, de Nelson Werneck Sodré, Furacão sobre Cuba,de Jean-Paul Sartre, Duas Táticas, de Lenin, Reforma ouRevolução, de Rosa Luxemburgo, Contra o Liberalismo, deMao Tsé-tung, e Crítica da Economia Política, de Karl Marx. Segundo o atual diretor da Mário de Andrade, obibliotecário Rizio Bruno Sant´Ana, os livros, infelizmente, seperderam. Só se sabe da existência do episódio graças a ummemorando produzido no dia 6 de abril de 1964 pelo porteiro queencontrou o material.Ainda que os títulos fossem "perigosos"naquela época, o provável motivo para que não integrem hoje oacervo é que os livros da biblioteca são normalmente doados,trocados ou comprados."É claro que se trata de uma situação-limite, e o abandono, portodos os motivos históricos, não seria um acaso, mas uma atitudedeliberada", diz Bruno Sant´Ana. A exposição é aberta nesta terça-feira, dia dobibliotecário, com uma palesta do editor Antônio Briquet deLemos, às 8h30. Além de expor edições dos títulos relacionadospelo porteiro, a mostra vai contextualizar o fato, discutindo opreconceito contra os livros, inclusive com a ajuda de manchetesde jornais da época. Segundo Sant´Ana, um dos últimos casos de interferênciado poder público sobre o conteúdo das bibliotecas, em São Paulo,foi a proibição, em 1986, pelo prefeito Jânio Quadros, da compra pelo município, da revista especializada em computadores PCWorld. Jânio Quadros acreditava que a publicação estava ligadaa partidos comunistas. Livros x Censura: A Biblioteca Municipal e a Repressão Militar - De segunda a sexta, das 9h às 21h; sábado, das 9h às 18 h. BibliotecaMário de Andrade: Rua da Consolação, 94. Tel: 3241-3459. Até 6/4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.