Livro traz pesquisa exaustiva sobre Che Guevara

Mais que um livro, Vida, Morte e Ressurreição do Che é resultado de 35 anos de muita pesquisa, mais especificamente o projeto de vida do médico, jornalista e escritor Reginaldo Ustariz Arze. A obra será lançada hoje, a partir das 20 horas, no Instituto Itaú Cultural, com direito a um pronunciamento de frei Betto, autor do prefácio. "Esse livro nasceu quando entrei em uma área proibida pelo Exército boliviano e me deparei com o cadáver do Che", lembra o correspondente de guerra Arze sobre o dia 9 de outubro de 1967. Médico sanitarista, utilizava a profissão para ter acesso aos locais permitidos somente aos militares. "Informava que era médico, entrava em muitos lugares e, nesse dia, pude ver o corpo de Ernesto Che Guevara. Ao contrário do que as forças armadas diziam, percebi que o guerrilheiro fora executado", afirma. "O Che foi morto à queima-roupa", denunciou à imprensa internacional em 10 de outubro de 67. "Dei uma série de entrevistas, era muito jovem, não avaliei o perigo e em pouco tempo tive de fugir da Bolívia." Exilado no Brasil, deixou o pai encarregado de guardar todo o material sobre o Che, revistas, jornais e livros. Com a abertura do regime, o médico passou 35 anos colhendo depoimentos de camponeses, guerrilheiros sobreviventes e militares. "Fiz um verdadeiro trabalho de jornalismo investigativo, consegui, por exemplo, fotografias feitas por guerrilheiros e encontradas pelo Exército em uma vala. Recuperei boa parte, cerca de 100 imagens no computador, que estão presentes como iconografia." Para contar a saga do Che, o autor também se preocupou com infográficos, que contextualizam a guerrilha e o momento histórico. "Eu pretendia publicar esse livro em 1997, mas não tinha em mãos tudo o que queria. Minha maior dificuldade foi conseguir os depoimentos", diz o autor que mergulhou na literatura sobre o mito, analisando cerca de 300 livros. Muitas pessoas se recusavam a falar, mas, com o passar dos anos e muita persistência, o escritor convenceu os protagonistas dessa história. "A única pessoa que não consegui ouvir foi o homem que executou o Che, ele cobra US$ 40 mil para contar o que fez." Foram 150 horas de conversas gravadas, um imenso trabalho para cruzar os dados e elaborar um banco de dados, o resultado é um livro didático, repleto de imagens, emoções e informações inéditas. Comprometido com a verdade, o projeto mobilizou toda a família do médico/escritor. "Meu filho trancou matrícula na faculdade para me auxiliar na organização do livro." Mulher e filha não escaparam. "Já publiquei em espanhol e a primeira edição está esgotada. A sensação que tenho é de missão cumprida, um tremendo orgulho ver o trabalho de tantos anos transformado em realidade." Vida, Morte e Ressureição do Che - De Reginaldo Ustariz Arze. Editora Brasbol. 400 páginas. R$ 40,00 (no dia do lançamento) e R$ 59,00. Hoje, a partir das 20 horas. Itaú Cultural. Avenida Paulista, 149, tel.: 32681700

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.