Livro sobre contas de Maluf é candidato ao Jabuti

O livro Dinheiro Sujo da Corrupção, do jornalista Rui Martins, é candidato ao prêmio Jabuti na categoria livro-reportagem. Ex-correspondente europeu da CBN, o jornalista foi o detonador, no plano internacional, do caso Paulo Maluf, denunciado pelo Citibank de Genebra por força de uma nova lei suíça contra lavagem de dinheiro. Neste ano, o Jabuti vai distribuir mais de R$ 120 mil em prêmios. Depois de dobrar para R$ 30 mil o prêmio para o Livro do Ano "Ficção" e "Não-Ficção" no ano passado, o Jabuti 2006 aumentou também o valor do prêmio para o ganhador de cada categoria, passando de R$ 1,5 mil para R$ 3 mil. Segundo um jornal suíço, depois das repercussões do caso Maluf, a polícia do país passou a ter mais cuidado com as contas de brasileiros, ao referir-se à prisão em São Paulo do banqueiro suíço Peter Schaffner, do Credit Suisse de Zurique, acusado de evasão de divisas.Alguns dias depois da revelação pelo Controle de Atividades Financeiras (COAF) de Brasília de um fax da polícia suíça denunciando Maluf, Martins e seu colega da Tribune de Genève, Jean-Noel Cuenod, formaram a dupla que deu dimensão internacional ao "caso Maluf". Depois de ter divulgado 22 "boletins Maluf" pela rádio CBN, Martins foi demitido por telefone a pretexto de "economia". O jornalista Carlos Aranha, do Correio da Paraíba, foi o primeiro a denunciar a demissão num artigo publicado em João Pessoa mas que deu a volta pelo Brasil pela Internet, até ser reproduzido no site do Observatório da Imprensa.O livroDinheiro Sujo da Corrupção reproduz os 22 boletins-reportagens sobre as contas de Maluf, inclusive o último, lido pela CBN quinze minutos antes da demissão do jornalista.Lançado em outubro, o livro explica como a Suíça foi pressionada pela União Européia e EUA para mudar as leis do segredo bancário, pelo menos no que se refere a lavagem de dinheiro do tráfico e da corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.