Livro narra chegada de navegadores em SC

O escritor Carlos da Costa Pereira Filho lança hoje, em Joinville, seu romance Viagem da Esperança (Editora Letra D?Água, R$ 25), em que narra, misturando história e ficção, a saga do navegador normando Binot de Gonneville, que chegou à costa do catarinense apenas quatro anos depois de Pedro Álvares Cabral aportar no Brasil. A história de Carlos da Costa é baseada na saga do navio L?Espoir (ou A Esperança). Como muitas outras embarcações do início do século 16, o L?Espoir devia seguir para as Índias Orientais, a fim de voltar à Europa carregado de caríssimas especiarias. Semanas depois, arrastado por uma calmaria, veio dar no litoral sul brasileiro. É claro que a tese da calmaria, já praticamente descartada para explicar a descoberta do Brasil, também é contestada pelo próprio autor em Viagem da Esperança. Um fato pode ser determinante: havia no L?Espoir dois navegantes portugueses que haviam estado com Cabral em suas naus, em 1500.O que interessa a Carlos da Costa é relatar algo do dia-a-dia daquela tripulação quase toda de franceses que aportou onde hoje é a cidade de São Francisco do Sul, vizinha de Joinville. Baseado em um documento da época, a Declaração da Viagem do Capitão Gonneville e seus Companheiros às Índias, o autor recompõe a chegada de Binot de Gonneville ao litoral catarinense, a convivência de sua tripulação com os índios e sua partida, meses depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.