Livro francês ajuda muçulmanos a manter a forma durante Ramadã

Um novo livro francês oferece conselhosaos muçulmanos sobre como se manterem esbeltos e em formadurante o Ramadã -- tarefa difícil para muitos, embora elesjejuem do nascer ao pôr-do-sol durante todo o mês sagrado. O Ramadã, que começou na quinta-feira na França, é o mêsmais sagrado do calendário islâmico. Os muçulmanos praticantesse abstêm de alimentos, bebidas e sexo durante o dia. Aintenção da disciplina é aprimorar as almas dos fiéis. Mas clérigos e médicos dizem que a refeição do "iftar", querompe o jejum após o pôr-do-sol, vem se tornando cada vez maisfarta, incentivada pela ênfase cultural árabe nas grandesrefeições em família. O médico Alain Delabos, autor de vários livros sobredietas, disse que alguns muçulmanos transformam o iftar em "umaorgia noturna de comida açucarada do pôr-do-sol ao nascer dodia seguinte". "Isso leva alguns a chegarem ao fim do Ramadã pesando maisque antes, enquanto em outros surgem sinais de diabete ouexcesso de colesterol", escreveu Delabos no livro"Chrono-nutrition -- Ramadan special", lançado em agosto. Oferecendo receitas que incluem desde figos assados atésopa de lentilhas, Delabos aconselha os muçulmanos a consumiruma refeição doce ao final do jejum diário, um prato salgadoleve antes de dormir e uma refeição salgada antes do nascer dosol. Na França, onde vive a maior minoria muçulmana da Europa,alguns muçulmanos concordaram que o ganho de peso viroupreocupação crescente para as mulheres. Visando agradar aos gostos de todos na família, asrefeições iftar geralmente incluem bebidas açucaradastradicionais, pelo menos um prato à base de amido, outro pratode carne e um de vegetais. O jantar se completa com sobremesasrepletas de nozes e melado. "É preciso tomar cuidado com o que se come à noite, que équando se ganha peso", disse a enfermeira de origem marroquinaSonia Boyer, de Paris, contando que tentou perder um pouco depeso antes do início do Ramadã. Estudos de especialistas em saúde mostram que muitosmuçulmanos ganham peso durante o mês do jejum e que, em algunspaíses árabes, o consumo médio de alimentos aumenta durante operíodo. "Presto atenção ao que como", disse Boyer, ressalvando queas pessoas não devem ficar obcecadas com seus corpos. "É o mês sagrado, não o mês da dieta", disse ela.

KERSTIN GEHMLICH, REUTERS

14 de setembro de 2007 | 14h19

Tudo o que sabemos sobre:
LIVRORAMADADIETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.