Livro do sociólogo Claudio Rendina vasculha bastidores da Igreja Católica

Italiano já escreveu outros livros na mesma linha, como 'A Vida Secreta dos Papas'

José Maria Mayrink,

10 de agosto de 2012 | 20h00

Soberba, avareza, luxúria e pedofilia, os itens enumerados na capa de Os Pecados do Vaticano, são apenas uma amostra dos escândalos que Claudio Rendina, escritor, poeta e historiador descreve em 352 páginas, com lupa de pesquisador e experiência de vaticanista. Lançada em 2009, a obra vendeu 30 mil exemplares em um mês. Não só pelo apelo do título e pelo conteúdo do índice - sete capítulos e apêndice -, mas também pela ficha bibliográfica do autor. Rendina escreveu, anteriormente, outros livros na mesma linha, entre eles Cardeais e Cortesãs, História dos Segredos do Vaticano e A Vida Secreta dos Papas, sempre com muito sucesso. É um autor que incomoda o Vaticano, mas não deixa de ser respeitado.

Com base em documentos e citações fidedignas, Rendina descreve tramoias financeiras, aventuras sexuais, crimes de homicídio e massacres institucionais praticados por autoridades da Igreja. Os escândalos vêm desde os primeiros séculos, multiplicam-se na Idade Média e avançam até os tempos modernos. No caso da pedofilia, por exemplo, que incrimina cardeais e papas da época do Renascimento, as denúncias chegam até os dias de hoje. Ao tratar de assassinatos de pontífices no passado, o autor registra a suspeita de que João Paulo I teria sido envenenado em 1978 numa suposta queima de arquivo. O título do novo livro de Rendina soa um tanto panfletário - o conteúdo, porém, é sério.

OS PECADOS DO VATICANO - SOBERBA, AVAREZA, LUXÚRIA, PEDOFILIA

Autor: Claudio Rendina

Tradução: Aderbal Torres

Editora: Gryphus (353 págs., R$ 49,90)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.