Livro desvenda o universo das mulheres negras no Brasil

O nome delas não está escrito nas páginas da história oficial. Elas sofrem duplo preconceito: o de gênero, por serem mulheres, e o racismo, por serem negras. A vida e os feitos das mulheres negras no Brasil ficou à sombra dos heróis brancos, um passado largado nos fundos dos baús de acervos e bibliotecas, praticamente esquecidos até agora. Com o firme propósito de valorizar essas personagens e seguindo o lema de conhecer para reconhecer, os pesquisadores Schuma Schumaher e Érico Vital Brasil lançam o ?tijolaço de dignidade e resistência?, como eles definem o livro Mulheres Negras do Brasil (Senac/Redeh, 496 págs., R$ 135), que também reúne um belíssimo material iconográfico.A pesquisa começou há dez anos com o projeto Mulher, 500 Anos Atrás dos Panos, que visava a uma leitura crítica das comemorações do descobrimento do Brasil. ?Queríamos discutir qual o papel das mulheres nesse período, uma vez que elas ficaram relegadas às entrelinhas da história?, observa Schuma. Uma equipe de pesquisadores foi a campo para levantar documentos, fotos, quadros e depoimentos sobre as mulheres brasileiras. Essa primeira frente de trabalho resultou no Dicionário das Mulheres (Jorge Zahar, 568 págs., R$ 78), lançado em 2000. ?Neste livro registramos o papel das mulheres no desenvolvimento do País e percebemos a necessidade de pesquisar mais atentamente as mulheres negras?, explica Érico Vital Brasil.Foram mais de três anos vasculhando todos os tipos de acervos em todo o território nacional para resgatar mais de 500 anos de história. Desde a bula papal que permitiu a escravização dos africanos até os dias de hoje, o livro se apresenta como uma obra de referência. Derruba idéias cristalizadas e preconceituosas. ?As pessoas costumam pensar na África como um país, no entanto vieram centenas de etnias para cá, algumas culturas se sobressaíram e estão vivas. Tradições, principalmente religiosas, estão mais preservadas aqui do que no continente africano. O registro das imagens presentes no livro valoriza essa cultura?, destaca Vital Brasil. Mulheres Negras do Brasil reúne biografias incríveis como a de Paula Bahiana, uma quituteira que se tornou fuzileira naval honorária ou a de Teresa Benguela, uma líder quilombola. ?Sem dúvida esta é uma obra incompleta, que nasceu com o propósito de construir uma história e de provocar novas pesquisas?, resume Schuma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.