Anderson Cristian| Divulgação
Anderson Cristian| Divulgação

Livro de Claudia Leitte autorizado a captar R$ 350 mil foi cancelado em 2015

Projeto para livro institucional, contudo, foi aprovado pelo Ministério da Cultura para arrecadar o valor através da Lei Rouanet

Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2016 | 21h08

A Produtora Ciel, responsável por gerenciar a carreira da cantora Claudia Leitte, recebeu a notícia, na última terça-feira, 16, pelo Diário Oficial da União, de que o projeto chamado Livro Claudia Leitte foi aprovado para captar R$ 355,927 mil por intermédio da Lei Rouanet.

O projeto previa a tiragem de 2 mil exemplares de um livro contendo uma entrevista exclusiva da cantora, fotos, letras e partituras da artista, com versões em inglês e português. Curiosamente, contudo, a produtora, em contato com o Estado, se disse surpresa com a aprovação do Livro Claudia Leitte e com a repercussão negativa que o caso havia tomado ao longo da quarta-feira.

Em comunicado, a empresa esclareceu que o projeto para um livro institucional sobre a baiana, inscrito “em total conformidade com Lei Rouanet” em 2014, foi abortado no ano seguinte, ou seja, em 2015.

O motivo pelo qual o projeto cancelado não foi retirado do programa de incentivo, questionado pela reportagem, contudo, é curioso. A empresa explica que o quadro de funcionários da Ciel mudou bastante ao longo dos dois últimos anos e o projeto e os responsáveis por ele já não trabalham lá. “Ficamos sabendo pela imprensa”, diz o comunicado.

Consta na Lei Rouanet que o recurso não captado é arquivado pelo Ministério da Cultura. É bom lembrar que a Lei 8.313, criada em 1991, na verdade, somente permite aos selecionados que captem recursos de empresas privadas. Não há repasse direto do MinC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.