Livro conta viagem de Mendes pela África

Em junho de 1997, o jornalista português Pedro Rosa Mendes iniciou uma jornada que hoje, dificilmente, reconhece, tornaria a percorrer. Atravessou a África, de Angola a Moçambique, pelo chão. Mais que atravessar um terreno minado, cruzou um continente minado.O resultado dos quatro meses de viagem está no livro Baía dos Tigres, um sucesso em Portugal, na quarta edição, que deve ser publicado no Brasil em junho pela editora Sá, por R$ 38. "Hoje, sei que as possibilidades de eu sair ileso, como ocorreu, eram muito menores do que a de acontecer algo; não fui surrado, não fui alvejado, nenhuma mina explodiu sob os meus pés", afirma Rosa Mendes, como se tivesse ganho numa loteria às avessas, em que o prêmio é continuar vivo.Partindo de Luanda, ele chegou por terra a Quelimane. O principal meio de locomoção, afirma, foram "os restos de caminhão", canoas, jipes e mesmo caminhadas. No total, percorreu 10 mil quilômetros. Não é um livro-reportagem. "Há uma parte verdadeira, jornalística, que é o perigo de vida que as pessoas correm, a questão das minas, que decepam pernas e vidas em Angola; mas, sobre os personagens, inventei muito, menti muito", diz Rosa Mendes, rindo. Assim, o livro de Pedro Rosa Mendes não deve ser lido como um diário de viagem, embora seja o fruto das anotações cotidianas, de 40 fitas-cassetes gravadas com entrevistas, sons e músicas das áreas que visitou e das lembranças que recolheu. "Há personagens verdadeiros, outros que são a reunião de dois ou mais personagens, há fatos que aconteceram em um lugar e narro em outro etc."

Agencia Estado,

02 de março de 2001 | 17h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.