Livro avalia o fenômeno "Chaves"

Chaves: Foi sem Querer Querendo?, livro de Luis Joly, Paulo Franco e Fernando Thuler, que será lançado no fim de agosto, conta a trajetória do seriado e tenta explicar o sucesso do programa, no ar pelo SBT desde agosto de 1984, entre os brasileiros.Psicólogos, diretores de TV e até atores do seriado falam sobre o programa, gravado nos anos 70 e vendido para o mundo inteiro. Ao todo são cerca de mil episódios gravados, dos quais o SBT só comprou 250. "Reunimos curiosidades e fatos que marcaram a história do programa", conta Luis Joly, que pesquisou o assunto por um ano. "Poucos sabem que o Chaves chegou ao SBT como uma imposição da Televisa. A rede obrigou Silvio Santos a comprar o seriado para levar um pacote de novelas. Era uma espécie de bônus", conta ele. "Silvio apresentou a fita dublada para os diretores do SBT e todos odiaram. Foi aí que SS disse: ´Se vocês não gostaram, será um sucesso.´ Ele acertou." O autor conta que Chaves conseguiu roubar audiência do Jornal Nacional nos anos 80, a ameaçar a estréia de Ana Maria Braga na Globo e até a ganhar do SPTV. "Na Colômbia, os atores do programa, por decreto presidencial, ganharam uma espécie de cidadania do país. Viraram colombianos", conta Joly. "Para muitos, o sucesso da atração está no fato de as piadas serem simplistas e atemporais, e dos personagens serem tipos que existem no mundo todo", continua. "Mas ninguém imaginava que seria esse sucesso todo. Foi mesmo sem querer querendo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.