Livro abandonado vira hit da internet

A internet, que em tese poderia causar a morte súbita do livro, pode se tornar a sua redenção e mudar mais uma vez a história deste objeto supostamente em vias de extinção a cada inovação tecnológica que surge na face da terra. Uma verdadeira livraria ambulante internacional está surgindo através dela e até um movimento para transformar o sentido do dia 11 de setembro de um "atentado terrorista" para um "atentado poético".A mania do momento é deixar livros em espaços públicos para que qualquer pessoa pegue, leia, e o devolva em outro lugar aleatório, para outro leitor idem. Esta é a idéia que move o site norte-americano bookcrossing.com, criado em abril. Clique aqui para ler mais sobre o site. O webmaster do site é Ron Hornbaker, dono de uma empresa de software em Kansas City, no Estado do Missouri. Já tem aproximadamente 151 mil pessoas inscritas e mais de 500 mil livros registrados. Clique aqui para acessar o site.Só hoje sete livros já foram abandonados em São Paulo, somando um total de 21 até este momento. Em Indaiatuba, interior de São Paulo, são cinco. O site indica que, na capital, um livro foi deixado no Café Floresta, do edificio Copan; outro no Caixa Eletrônico Banco Real no Pacaembu; outro embaixo da Banca José M. Lisboa X Joaquim Eugênio de Lima, e por aí vai... Rio de Janeiro, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Paraná já entraram na nova onda. Estados Unidos, Canadá, Alemanha e Austrália, lideram o ranking internacional.11 de setembro - Circula na internet, por e-mail, uma proposta para transformar o aniversário de dois anos do terrível atentado às torres gêmeas do World Trade Center em Nova York:"Na manhã de 11 setembro 2003 não se esqueça de sair munido de um livro que seja importante para você. Um livro que tenha mudado sua maneira de ver o mundo. Libere-o na via pública, sobre um banco, no metrô, no ônibus, em um café... a mercê de um leitor desconhecido.""O dia 11 setembro agora não será mais um aniversário fúnebre, e sim um dia de troca de energia e doação. Juntos, transformaremos esta data em um ato de criatividade e generosidade. A mobilização será geral em Bruxelas, Paris, Florença e São Francisco.""Vamos fazer isso também em nossas cidades aqui no Brasil.Nas cidades citadas,um grupo de escritores, leitores e amantes dos livros em geral, liberará seus livros, em lugar público."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.