Literatura reina em Belo Horizonte

Belo Horizonte sedia, a partir desse sábado, dois grandes eventos relacionados à literatura. O 1.º Salão do Livro de Minas Gerais e o Encontro Internacional de Literaturas em Língua Portuguesa acontecem de sábado até o dia 20, com entrada franca e realização de seminários, oficinas, mesas-redondas, exposições, espetáculos e mostras de vídeo. O dramaturgo paraibano Ariano Suassuna abre o evento nessa sexta com a palestra Romanceiro Popular e Literatura Erudita, às 18h30, no Teatro Francisco Nunes. Ele vai falar sobre sua obra-prima O Auto da Compadecida, a mais conhecida entre suas 14 peças teatrais. O salão se pretende anual e essa deve vir a ser sua especialização: a confluência de escritores e editores de países da comunidade lusófona. Segundo a Câmara Mineira do Livro (CML), uma das organizadoras do evento, o salão pode vir a se tornar um espaço de compra e venda de direitos de obras em português.O Encontro vai reunir escritores brasileiros como Carlos Heitor Cony, Décio Pignatari, Ferreira Gullar, Ana Maria Machado, Fanny Abramovich e Ziraldo e de Portugal, Moçambique, Angola, Cabo Verde e Guiné Bissau, como o escritor angolano Artur Pestana, o Pepetela, a cabo-verdiana Vera Duarte, a portuguesa Teolinda Gersão e ainda Virgílio Lemos, Mena Abrantes, José Eduardo Agualusa, Ana Paula Tavares, Paulina Chizianne. Uma das mais importantes tradutoras de língua portuguesa, a belga Irène Koenders, é uma das convidadas especiais. Tanto o salão quanto o encontro, que seguem até o dia 20 são organizados pela CML e pelas Secretarias de Cultura de Belo Horizonte e Minas Gerais. O orçamento total é de R$ 550 mil. A entrada para os visitantes é gratuita. A idéia do encontro dos escritores lusófonos surgiu a partir de uma reclamação de José Saramago, no ano passado, em passagem por Belo Horizonte. Saramago teria dito que se encontrava muito pouco com autores da sua língua que não sejam portugueses. Não é desta vez, no entanto, que a reunião de Belo Horizonte contará com a sua o presença. Para José Henrique de Abreu Guimarães, da CML, faltava a Belo Horizonte um evento desse porte. "Até pela tradição literária do Estado, Minas Gerais já merecia um salão como esse."A maioria das atividades concentra-se na Serraria Souza Pinto, mas acontecem também eventos na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte e Estadual Luís de Bessa, no Centro Cultural da UFMG, no Centro de Cultura Belo Horizonte (CCBH) e no Centro de Referência Audiovisual (CRAV). Durante o funcionamento do Salão, os expositores estarão mostrando as novidades do mercado editorial. Serão 95 estandes em um espaço reservado para as editoras realizarem programações especiais, como o lançamento do livro Alfabeto Negro - A valorização do povo negro no cotidiano escolar, das autoras Rosa Margharida, Ana Raquel e Cristina Gostin. As atividades culturais incluem várias apresentações de literatura com música, como a do grupo Cantares, que canta poesia, e de Luciana Gomes, cantando modinhas brasileiras e portuguesas do século 18, em homenagem a Tomás Antônio Gonzaga. No dia 20, o grupo vocal African Kiesse (Alegria Africana), fundado em Angola, mostra ritmos folclóricos da África durante a premiação dos vencedores dos concursos nacionais de literatura "Cidade de Belo Horizonte" e o infantil "João-de-barro". 1º Salão do Livro de Minas Gerais e Encontro Internacional de Literaturas em Língua Portuguesa. De sábado até 20 de agosto, com entrada franca. Mais informações pelo telefone 0-31-277-4553 ou pelos sites www.salaomg.com.br e www.encontrodeliteratura.com.br

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.