´Literatura de Estimação´ encerra a Flip 2007 neste domingo

A cidade histórica de Paraty ainda registra bastante movimento neste domingo, 8, último dia da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). O feriado estadual de São Paulo deve fazer com que alguns turistas paulistas permaneçam para curtir a segunda-feira. A série de debates da festa literária encerrou com a já tradicional mesa "Literatura de Estimação", às 19 horas, onde diversos escritores leram trechos de seus livros prediletos. Mais cedo, às 17 horas, o mexicano Ignácio Padilla e o argentino Rodrigo Fresán debateram as perspectivas da literatura ficcional, tendo como pano de fundo a comemoração dos 40 anos do clássico "Cem anos de solidão", de Gabriel García Márquez. O cult Ishamel Beah, de Serra Leoa, e o brasileiro Paulo Lins falaram sobre violência na mesa "Sobre Meninos e Lobos", às 15 horas. Beah, com experiência no exército de sua terra, e Lins, com a vivência numa favela dominada pelo tráfico e o crime trataram a arte literária permeada por narrativa de conflitos. "Muito longe de casa", obra de Beah relata sua vida como criança-soldado na violenta Serra Leoa. "Cidade de Deus", do escritor brasileiro, divaga sobre sua infância na favela - este livro que deu origem ao longa homônimo de Fernando Meirelles. O historiador Luiz Felipe de Alencastro debateu a obra "Coração das trevas", às 11h45, em comemoração aos 150 anos do livro de Joseph Conrad. Os dramaturgos Bosco Brasil e Mário Bortolotto abriram o domingo com a mesa "Sem dramas", onde debateram a arte cênica e a relação com a literatura. O último dia da Flip foi de poucas estrelas, em comparação com sexta e sábado, quando prêmios Nobel, monstros sagrados da literatura, rechearam as mesas. Números Em coletiva à imprensa, no início da tarde deste domingo, o diretor presidente da Associação Casa Azul e um dos idealizadores da Flip, Mauro Munhoz, o diretor de programação, Cassiano Elek Machado, e a coordenadora da Flipinha, Cristina Maseda, informaram os números da Flip 2007. No total, segundo eles, circularam 20 mil turistas e 10 mil crianças nos 21 debates promovidos e nas mais de 100 atividades infantis e eventos paralelos durante os cinco dias de Flip, de quarta até domingo.De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, a quantidade de turistas este ano foi quase 50% superior, ante a edição de 2006 - 20 mil em 2007, contra 12 mil no ano passado. O avanço, porém, foi aproveitado por Mauro Munhoz para relatar uma preocupação, em tom de crítica, com a infra-estrutura de Paraty, que prejudicou a festa com a falta de água e luz. "Quem sabe assim (com o crescimento), alguns problemas estruturais da cidade passam a merecer mais atenção. A Flip é uma ferramenta para pensarmos em um futuro interessante para esta cidade", disse o diretor presidente da Casa Azul. Mauro Munhoz anunciou ainda que Cassiano Elek Machado, que estreou como diretor de programação nesta 5ª edição, deve permanecer no cargo em 2008. Diante da informação, Cassiano adiantou que pretende na próxima edição, caso seja mesmo o diretor de programação, continuar com o tom que empregou para este ano, com autores que propiciem discussões sobre as diversas vertentes literárias e a relação com outros meios artísticos, como cinema e teatro.Flipinha O rapper carioca Gabriel, o Pensador esteve na Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip. Não, ele não compareceu a nenhuma mesa com algum outro escritor discutindo literatura ou algum outro papo intelectual. Não que o espaço não permita - Lobão, por exemplo, dividiu uma mesa quinta-feira com Chacal, na Flip. Gabriel, o Pensador, entretanto, usou do que mais sabe fazer, a música, para encerrar com chave de ouro a Flipinha, evento literário voltado para crianças e adolescentes. Ele mandou canções de sua carreira, como "Retrato de um playboy", e agitou os presentes. Segundo a organização da Flip, o evento paralelo infantil atraiu só da região cerca de 10 mil crianças, mas fala-se num total de até 20 mil que circularam pela Flipinha. Durante os cinco dias de Flip, muitas manifestações artísticas, pessoas contando histórias e promovendo atividades e recreação para as crianças formataram a essência da Flipinha, que lotou a Praça da Matriz durante o dia e terminou no final da tarde deste domingo com um animado show do Pensador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.