Lima Duarte brilha em A Ostra e o Vento

Caçadores de Dragões

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2012 | 02h11

16H15 NA GLOBO

(Chasseurs de Dragons). França/Alemanha/ Luxemburgo, 2008. Direção de Guillaume Ivernel, Arthur Qwak.

Dragão está prestes a destruir o mundo. Garota decide ajudar seu tio, dono de um imenso castelo e de uma fabulosa fortuna, e sai à procura de heróis iguais aos que ela conhece dos contos de fadas. Ela encontra, porém, dois atrapalhados caçadores de dragão. Bom exemplo de animação que não vem dos EUA. Reprise, colorido, 90 min.

Whisky com Vodka

22 H NA CULTURA

(Whisky Mit Vodka). Alemanha, 2009. Direção de Andreas Dresen, com Henry Hübchen, Corinna Harfouch.

Ator afamado sofre com excesso de bebida, fazendo com que ele perca um dia de filmagem. Como garantia, os produtores chamam um jovem desconhecido para trabalhar como substituto. Assim, todas as cenas passam a ser gravadas duas vezes, provocando um duelo de gerações. Curioso filme alemão, que será exibido hoje em sua versão dublada. Reprise, colorido, 100 min.

A Ostra e o Vento

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 1997. Direção de Walter Lima Jr., com Lima Duarte, Leandra Leal, Fernando Torres e Débora Bloch.

O filme acompanha a trajetória do faroleiro José, pai obsessivo que vive com a filha Marcela em uma ilha, cuja principal função é ter um farol. O único contato dela com o restante do mundo é por meio de um grupo de marinheiros que vêm trazer mantimentos. Ela está em via de se tornar adolescente e, por falta de companhia, imagina-se namorada do vento. O despertar da sensualidade da menina contrasta com a obsessão do pai, homem rude brilhantemente interpretado por Lima Duarte por meio de gestos, inflexões de voz, em uma concepção física digna da tragédia. O encontro de um diário e um suposto assassinato conferem um tom de mistério à trama, mas o que mais interessa é o confronto entre duas pessoas tão distintas - o pai deliberadamente enclausurado e a filha em busca da liberdade de uma nova vida. Um filme adorável. Reprise, colorido, 115 min.

Te Amarei para Sempre

22H45 NO SBT

(The Time Traveler's Wife). EUA, 2009. Direção de Robert Schwente, com Eric Bana, Rachel McAdams.

Menina de 6 anos conhece um homem portador de uma rara modificação genética que o faz, involuntariamente, viajar no tempo. Essa amizade faz com que ela o espere anos a fio no mesmo local. Agora, adulta, é apresentada a um bibliotecário com as mesmas características do outro. Os dois se reconhecem e vivem um impasse: e se ele sumir a qualquer momento? Comédia agradável. Inédito, colorido, 107 min.

Scanners, Sua Mente Pode

Destruir

23 H NA REDE BRASIL

(Scanners). Canadá, 1981. Direção

de David Cronenberg, com Jennifer O'Neill, Stepehn Lack.

Um dos primeiros sucessos do diretor canadense David Cronenberg, que já explorava seu tema favorito - as mutações que transformam os homens em aberrações aos olhos de seus semelhantes. A trama mostra quem são os scanners, seres que podem ler as mentes das outras pessoas (e até explodi-las, como mostra uma cena já clássica). Até que um scanner do bem ajuda cientista que segue a trilha de colega maligno que está deixando um rastro de destruição. Apesar das limitações tecnológicas, o filme ainda resiste como belo exemplo de suspense. Reprise, colorido, 100 min.

Tiroteio

0H15 NA CULTURA

(Gun Fight). EUA, 2011. Direção de

Barbara Kopple.

Documentário que mostra uma visão atualizada do impacto das armas nos Estados Unidos, por meio de histórias vívidas por pessoas que têm um interesse pessoal na questão. Com uma estimativa de 250 milhões de armas em mãos de particulares nos Estados Unidos, cerca de 30 mil pessoas são mortas e 65 mil são feridas no país todos os anos. Mesmo assim, não é fácil reduzir a violência provocada por armas, pois a Associação Nacional de Rifles (o lobby mais poderoso nos Estados Unidos) afirma que qualquer controle é uma violação de liberdades garantidas pela Declaração de Direitos dos Estados Unidos. Debate sempre atual. Reprise, colorido, 75 min.

A Sentinela

2H40 NA REDE BRASIL

(The Sentinel). EUA, 1977. Direção de Michael Winner, com Chris Sarandon, Ava Gardner, Cristina Raines.

Top model se muda para cobertura em Manhattan e descobre que o lugar é portal para o inferno - e também que ela será agora sua guardiã. O bom elenco segura a atenção, com destaque para Ava Gardner. Pena que o diretor Winner erra a mão no desfecho, que deixa seu horror horrível (além de ridículo). Reprise, colorido, 92 min.

Justiça a Qualquer Preço

2H45 NA BAND

(Mistrial). EUA, 1996. Direção de

Heywood Gould, com Bill Pullman, Robert Loggia.

Policial honesto é testemunha de um homicídio no qual o acusado foi preso por ele. Num julgamento cheio de farsas e intervenções maliciosas do advogado de defesa, o suspeito é absolvido. Revoltado, o policial, num momento de insanidade, prende todos os participantes do julgamento no tribunal e conduz outro julgamento, onde ele faz o papel de juiz. Vale uma espiada. Reprise, colorido, 89 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.