Liberada verba para segurança do Museu Nacional

O Ministério da Educação liberou hoje R$ 760 milpara a instalação do sistema de segurança no Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, de onde foram levados pelo menos 24in-fólios (livros grandes e pesados) da coleção de obras raras. A direção da instituição deu pela falta dos livros na últimaterça-feira, mas já havia comunicado o perigo de o roubo acontecer, por falta de recursos para um esquema que o impedisse.Segundo o MEC, a verba faz parte de um total de R$ 3 milhões que serão destinados à recuperação do museu, que foi a residência dos imperadores do Brasil e hoje é administrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.O diretor do Museu da Quinta, Sérgio Alex de Azevedo, disse hoje que os recursos para o sistema de segurança haviam sido pedidos no ano passado e que nada pôde ser feito sem sua liberação. ?Só medidas emergenciais, como a troca das fechaduras?,ressaltou ele, que manteve contatos o dia inteiro com o MEC, ao qual a instituição está subordinada, e o Instituto do PatrimônioHistórico e Artístico Nacional (Iphan) que orienta sua restauração. Ele explicou que já existe um projeto para melhorar asegurança do museu, que guarda coleções importantes desde quando a família imperial lá morava. ?Precisamos de 40 câmeraspelo menos, 16 só para a biblioteca.? Hoje, o delegado Júlio César dos Santos, da Polícia Federal, esteve no museu periciandoo local, mas afirmou que não é possível saber sequer quando o roubo ocorreu. Ele vai ouvir todos os funcionários da biblioteca ereconheceu que a segurança era muito frágil. ?Por isso, não dá para descartar nenhuma hipótese ou possibilidade?, adiantou odelegado. Ele explicou que só foi hoje ao Museu porque a notificação demorou para chegar à Delegacia de Crime do MeioAmbiente e Patrimônio e devido à greve da Polícia Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.