EFE/EPA/UNICEF
EFE/EPA/UNICEF

Liam Neeson visita o Brasil e pede apoio a migrantes da Venezuela

O ator também participou de atividades recreativas com jovens

Redação, O Estado de S. Paulo

10 de janeiro de 2020 | 18h35

O ator britânico Liam Neeson, Embaixador da UNICEF, pediu à comunidade internacional mais apoio para Crianças e adolescentes venezuelanos que fugiram da crise que assola o país, em uma visita de vários dias à fronteira brasileira que terminou nesta sexta-feira.

"Eles estão exaustos, vulneráveis ​​e em choque por terem deixado tudo para trás. Como pai, tenho um coração partido por ouvir sua histórias ", disse Neeson.



O famoso ator viajou para a cidade brasileira de Pacaraima, na fronteira do Brasil com a Venezuela e o portão principal de entrada de venezuelanos que fogem da crise social, econômica e política em seu país. Lá, ele conheceu em primeira mão a realidade das famílias que recebem assistência médica e iniciam  procedimentos de imigração no âmbito da Operação Acolhida.

O ator também participou de atividades recreativas e projetos educacionais com jovens venezuelanos cujo objetivo é facilitar sua integração nas escolas brasileiras. Nesson também visitou um acampamento que reúne adolescentes venezuelanos e brasileiros para promover um bom entendimento entre eles e evitar a crescente xenofobia sofrida pelos migrantes Venezuelanos em alguns países da América Latina.

"Durante minha visita ao Brasil, vi o poder da união de adolescentes venezuelanos e brasileiros. Isso me fez lembrar minha experiência durante o conflito na Irlanda do Norte, quando vi crianças católicas e protestantes sendo amigas, quebrando a barreira do medo", afirmou o ator. 

 

Segundo a ONU, cerca de quatro milhões de venezuelanos deixaram seu país para outros lugares do mundo desde o final de 2015, em um dos maiores fluxos migratórios do planeta./EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Liam Neesonmigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.