Levi´s choca mundo da moda

Uma das mais reconhecidas marcas deroupas do mundo perde cada vez mais força no país em que ficoufamosa. A Levi´s acaba de anunciar o fechamento de seis fábricasnos Estados Unidos, o que vai resultar na demissão de 22% daforça de trabalho mundial da grife. De 1997 a 2002, a empresapassou de 24 para apenas 2 fábricas, com as vendas do mercadoamericano caindo a cada ano. A marca vai passar a se concentrarno marketing e na distribuição de roupas ? deixando a fabricaçãode lado.A decisão chocou a indústria da moda e deu sinais claros doquanto a globalização vem afetando o mercado. Fundada em 1853pelo imigrante bavário Levi Strauss, a marca é vendida em maisde cem países e registrada em 160 deles. Por décadas a fio, oLevi´s Jeans, patenteado por Strauss e pelo alfaiate Jacob Davisem 1873, foi sinônimo de roupas feitas em brim. A adoção por estrelas como Marilyn Monroe e James Dean chegou aser usada, recentemente, em uma campanha que provocava marcasconcorrentes como Calvin Klein e Tommy Hilfiger. "Ninguém podesuperar nossos modelos", diziam os anúncios.Estas outras grandes marcas americanas ? muito mais novas ?conseguiram margens de lucro maiores por terceirizar a produçãode peças para empresas asiáticas, uma política amplamentecriticada por várias frentes. "Fechar nossas fábricasamericanas foi uma decisão dolorosa, mas necessária", disse opresidente da empresa, Philip Marineau, em um comunicadooficial. "Sabemos que para competir no mercado atual temos quedeixar de lado a fabricação e administração de centrosprodutores."Ironicamente, a Levi´s vai ter de começar a fazer o que sempretentou evitar. A empresa foi pioneira, nos anos 40, em empregarpessoas de todas as raças, antes da criação da lei deoportunidades iguais. Nas últimas décadas, eles criaram times deenvolvimento comunitário, para realizar melhorias nas cidadespróximas às fábricas, e tiveram um importante papel na crise daaids, arrecadando mais de US$ 26 milhões. A Levi´s chegou a serconsiderada a segunda melhor empresa para minorias dos EstadosUnidos, em um ranking compilado pela revista "Forbes".As roupas da marca vão passar a ser feitas por outras empresas ?a preços asiáticos. A direção da Levi´s garante que o processode transição vai ter uma "profunda preocupação" com ascomunidades dos trabalhadores demitidos.Este é um passo decisivo para salvar a empresa, que vem tendoquedas nas margens de lucros a cada trimestre. A Levi´s édividida em três regiões mundiais: Américas (que inclui a Levi´sdo Brasil); Europa, Oriente Médio, e África; e Ásia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.