Lenine volta com 'Acústico' e a trilha do Grupo Corpo

Compositor se apresenta no Sesc Pinheiros e tem obra inédita coreografada no Alfa

Lauro Lisboa Garcia, do Estadão,

02 Agosto 2007 | 16h38

Dois aspectos distintos da música de Lenine podem ser apreciados na cidade neste fim de semana. O compositor volta amanhã e domingo com o show Acústico MTV, tocando suas canções mais conhecidas, no Sesc Pinheiros. No Teatro Alfa, até o dia 12, o que está em cena é seu trabalho mais recente e inédito: a impactante trilha sonora de Breu, nova coreografia do Grupo Corpo, que já está à venda em CD (de produção independente) no saguão do teatro, por R$ 35.  Briga de Cachorro Grande Trovador Secular Além disso, Lenine está produzindo o novo álbum do cantor e compositor Tcheka, do Cabo Verde. Com dois álbuns ao vivo consecutivos - In Cité (2004), gravado em Paris, e o Acústico MTV (2006) - ele também deve voltar ao estúdio este ano para gravar o próximo CD de canções inéditas. O roteiro dos shows de hoje e amanhã segue o perfil retrospectivo do Acústico, incluindo algumas de suas canções mais marcantes, como A Ponte, Hoje Eu Quero Sair só, Paciência e O Último Pôr-do-Sol e Dois Olhos Negros. "Nada disso foi intencional. O show no In Cité foi um só, num primeiro momento eu disse que não queria gravar; o Acústico foi um convite irrecusável da MTV e só tive um mês e meio para preparar. Não foi nada premeditado", diz. "Agora estou realmente pensando em um disco de estúdio. Cada novo trabalho é sempre uma somatória das experiências que a gente tem. Como o exercício da composição é uma coisa ininterrupta, quando começo a pensar num disco, já tem um chão que foi andado."  Toda instrumental, a trilha de Breu tem oito temas e uma gama de tonalidades e atmosferas, nuances de experimentalismo e violência, texturas e fusões de ritmos de densidade elevada, que ganha força em cena, mas também é bom de se ouvir fora do contexto da dança. Caboclinho, rock pesado, frevo, elementos do funk clássico, característicos da pegada de violão de Lenine, estão no paredão sonoro de autoria inconfundível. Com participação de Igor Cavalera (bateria), Bocato (trombone), Jr. Tostoi (violão, guitarra, efeitos), co-produtor do CD com Lenine, Siri (percussão) e a sensacional Spok Frevo Orquestra, a trilha tem como ponto alto Secular, um frevo desconstruído mesclado com rock, que homenageia o centenário do ritmo pernambucano, incluindo fragmentos de vários temas famosos do gênero, em citações divertidas.  "Talvez este seja o trabalho mais autoral meu, o disco mais revelador de como estou agora", diz Lenine, que vem se juntar a Philip Glass, Uakti, Milton Nascimento, João Bosco, Tom Zé, Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Zé Miguel Wisnik, entre os parceiros de confiança do Grupo Corpo. "Fiquei muito honrado com o convite e impactado com a coreografia. Pela primeira vez vi minha música tridimensional." Para o compositor, o coreógrafo Rodrigo Pederneiras "teve uma delicadeza em transpor todos os relevos e as nuances dos arranjos e das músicas para os corpos dos bailarinos".

Mais conteúdo sobre:
AcústicoLenineGrupo Corpo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.