Leis de Nuremberg são expostas pela 1ª vez ao público em Washington

As leis de Nuremberg, assinadas em 1935 por Adolf Hitler e consideradas o marco das políticas antissemitas da Alemanha nazista, são exibidas ao público a partir desta quarta-feira (6), pela primeira vez, nos Arquivos Nacionais de Washington.

EFE

06 de outubro de 2010 | 14h05

 

Os documentos, que serviram como prova contra o Governo nazista nos julgamentos do Tribunal de Nuremberg após a Segunda Guerra Mundial, estipulavam que nenhum judeu podia ser considerado alemão e não podia, portanto, trabalhar legalmente no país nem se relacionar com seus cidadãos.

 

Os Arquivos Nacionais, que contam com milhões de documentos relacionados ao Terceiro Reich, ao Holocausto judeu e aos julgamentos de Nuremberg, abrigam as famosas leis desde agosto de 2010.

 

Até então essas leis estavam na Biblioteca Huntington, em San Marino (Califórnia), para onde foram levadas, em 1945, pelo célebre general americano George S. Patton. O militar desobedeceu as ordens que exigiam manter em território alemão qualquer prova relacionada à perseguição dos judeus.

 

A negligência de Patton, que só seria descoberta em 1999, fez com que a acusação no Tribunal de Nuremberg utilizasse fotocópias dos documentos originais, que eram dados como desaparecidos ou destruídos.

 

Na exposição das leis, que vai até o dia 18 de outubro, estarão presentes familiares de Martin E. Dannenberg, o soldado americano que descobriu os documentos após a queda do regime nazista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.