Leilão de objetos de Kennedy arrecada US$ 1,7 milhão

O primeiro dia de um leilão de objetos que pertenceram à família do ex-presidente americano John Kennedy, assassinado em 1963, resultou numa arrecadação de cerca de US$ 1,7 milhão (R$ 4,4 milhões). Algumas peças chegaram a ser negociadas ao equivalente a 70 vezes o seu valor inicialmente estimado. Uma cadeira de balanço de Kennedy, por exemplo, foi arrematada por US$ 96 mil, ou 20 vezes o preço inicial.O leilão, de três dias de duração, foi organizado pela filha do ex-presidente, Caroline Kennedy. Os objetos estão sendo vendidos pela Casa Sotheby´s, de Nova York. Eles estavam nas cinco casas da família - em Hyannis Port, Martha´s Vineyard, Nova Jersey, Nova York e Virgínia.A lista inclui sobretudo objetos domésticos. A Sotheby´s afirma ter se surpreendido com o volume de lances apresentados no primeiro dia de leilão. "Ficamos surpresos", disse à agência de notícias France Presse o vice-presidente da Sotheby´s, Chapin Carson. "Acredito que os americanos, e pessoas em todo o mundo, se lembram dos tempos em que os Kennedys estavam na Casa Branca como uma época de grande esperança e orgulho."Estimava-se antes do leilão que alguns dos artigos arrecadassem menos de US$ 100 cada um. Os preços, porém, dispararam com os lances dos colecionadores. Um breque de porta de ferro, estimado em US$ 70, foi vendido por US$ 4,8 mil. Uma tigela para armazenar açúcar viu seu valor multiplicar de US$ 150 para US$ 7,2 mil no lance final. Um cobertor de lã vermelho foi adquirido por US$ 18 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.