Leilão da coleção de Yves Saint-Laurent bate recordes

Christie's fixou um total de 300 milhões de euros por 3 dias, mas as vendas chegaram a 307 milhões no 2.º dia

EFE,

25 de fevereiro de 2009 | 15h08

O leilão multimilionário da coleção privada do estilista francês Yves Saint-Laurent e de seu companheiro Pierre Bergé bateu novos recorde, na noite de terça, 24, no segundo dos três dias de venda previstos, superando as expectativas dos especialistas.   Veja também:  Coleção de arte de Yves Saint-Laurent vai a leilão em Paris   A casa Christie's tinha fixado o total de vendas deste leilão em 300 milhões de euros (US$ 381 milhões), um valor que foi superado, levando em conta que, nos dois primeiros dias, já foram levantados 307 milhões de euros.   O recorde foi a poltrona de couro decorada com dois dragões do artista de origem irlandesa Eileen Gray (1878-1976), arrematado por 21,9 milhões de euros (US$ 28 milhões), muito acima dos entre 2 e 3 milhões de euros nos quais havia sido avaliado.   Outra peça de Gray foi comprada: Enfilade, um móvel de sua coleção vendido por 3,5 milhões de euros (US$ 4,4 milhões).   Houve outros seis recordes na venda de obras de pintura e gravuras de mestres antigos, a mais importante a de um retrato de Théodore Géricault (1791-1824), pintor francês protótipo do romanticismo. Seu Portrait d'Alfredet Elisabeth Dedreux foi adquirido por 8 milhões de euros (US$ 10,2 milhões), quando o preço de venda tinha sido calculado em entre 4 e 6 milhões de euros.   Outra tela arrematada acima de seu lance inicial foi Portrait D'Homme Tennant Un Livre, do pintor belga Frans Hals, vendido por 3,1 milhões de euros (US$ 3,9 milhões).   Um impressionante conjunto de 15 espelhos desenhados pelo francês Claude Lalanne também bateu recorde e foi arrematado por 1,8 milhão de euros (US$ 2,3 milhões).   O leilão incluiu outras peças de grande valor de art déco, objetos decorativos, ourivesaria e mobília que Saint-Laurent e Bergé tinham acumulado ao longo da vida.

Tudo o que sabemos sobre:
Yves Saint-Laurentleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.