Leia trechos de "Trilogia"

Diante de qualquer obra de Câmara nunca teremos dificuldade em identificar o autor. Contudo, este caráter autoral não é dependente de um estilo, de uma determinada tendência ou corrente estética do passado ou do presente. A rigor, não deveríamos sequer falar de influências, filiações, afinidades. Trata-se muito mais de um método de trabalho, do modo como desenvolve seus mecanismos de criação (...). E nesse modo de agir nunca é movido por uma vontade de estar em dia com os modismos nacionais e internacionais (...). Sendo sempre o mesmo, nunca deixa de inovar. (Frederico Morais)Quando meu pai morreu fiz uma pintura votiva e depois um álbum de gravuras - O Olho de Meu Pai sobre a Cidade - juntando (gosto desta palavra explicativa de tanta coisa nas artes modernas e na minha própria) juntando imagens, lembranças, caprichos da cidade que ele viu e onde viveu quase toda sua vida discreta modesta decente. E escrevi no álbum: Assembléia, palácio, teatro, faculdade, colégio, pontes, reflexos e miragens. O estrangeiro se admira do classicismo imposto aos prédios, sufoca-se com a doçura dos jasmins, pisa na catinga do mijo nos becos. (João Câmara)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.