Leia trechos da entrevista de Silvio Santos

Leia trechos da entrevista polêmica, irônica e às vezes contraditória de Silvio Santos à repórter Ana Carolina Soares, da revista Contigo. O apresentador e proprietário do SBT falou por telefone, de Celebration, cidade-modelo em Orlando, perto da Disneylândia, nos EUA, onde mora atualmente, em sua nova casa de US$ 700 mil, segundo apurou a reportagem da revista. O apresentador falou com a repórter no dia 5 e novamente no dia 8, quando a conversa foi gravada. O senhor pretende se mudar de vez para Celebration? Sim, Vou ficar aqui até a minha morte (pausa). Que aliás já foi declarada. Morte declarada? Ah, você não sabe? No ano passado, fui ao Medical Center, em Miami, e eles declararam que só tenho mais seis anos de vida. Estou com um problema gravíssimo nas artérias do coração. E eles me disseram que, de agora em diante, só preciso descansar (pausa). No duro. Doença grave? Vocês da imprensa são inacreditáveis. Quando a gente fala a verdade, não acreditam. E estou falando a verdade. Sobre a venda do SBT, Silvio Santos disse que as negociações estavam em andamento: Pedi um bilhão de reais e eles não tinham essa verba. Mas as negociações não terminaram. Eles ficaram de levantar a verba. Vou vender mesmo. Já que vou ficar aqui, esperando a minha morte, alguém tem de assumir o controle do grupo. Já no dia 8, quando a entrevista foi gravada, o apresentador brincou sobre seu estado de saúde e confirmou a venda do SBT: Mas qual o nome da doença? É uma doença nas coronárias, se chama Ataque do Coração em Seis Anos (em tom irônico). E sobre a venda do SBT, disse: Você sabe que eu já vendi minhas ações do SBT para a Televisa e para o Boni. Por quanto? Cada um deles vai pagar 1 bilhão de reais. Serão 2 bilhões de reais. A Televisa parece que vai pagar semana que vem. O Boni vai esperar um pouco mais, mas vai pagar também. Silvio Santos chegou a sugeria a capa da revista, da qual já foi repórter na década de 70: "Pode botar na capa ´Silvio Santos espera a morte´. Vai vender muito".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.