Leia trecho de conto de 'Novos Contos Eróticos', de Dalton Trevisan

“Durão, sim, às duas de uma tarde de sol. Nunquinha que às três da noite escura da alma, eu, a última das baratas leprosas. Agonizante na velha cama, o colchão furadinho de agulhas de gelo, o travesseiro de penas e brasas vivas. Única imagem: você perdida e nua em meus braços. Única ideia: nua e perdida você nos braços de outro atropela uma prece entre berros do ódio que espuma. E o maldito pernilongo da insônia, oi querido, tudo bem? ”

15 de novembro de 2013 | 17h55

Trecho de Tudo Bem, Querido, do livro Novos Contos Eróticos, de Dalton Trevisan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.