Leia poemas inéditos Ana Cristina Cesar

No próximo dia 25, chega as livrarias Poética, volume que compila títulos esgotados e textos inéditos de Ana Cristina Cesar. Leia abaixo alguns dos novos poemas que estão no livro:

O Estado de S. Paulo

18 de novembro de 2013 | 20h04

definição

poeta é onda

onda é canto

canto é espera

espera é adeus

adeus é morte

morte é nódoa

nódoa é ostra

ostra é ensaio

ensaio é busca

busca é poeira

poeira é poeta

(novembro de 1968)

quase

uma tarde cremosa.

coração, bates; como quem está amoroso ou precisando escrutinar páginas virgens.

há um outono lânguido tiquetaqueando por entre nuvens de lentidão; há um casal de andorinhas se buscando entre antenas e para-raios; há um homembinóculo de camisa azul, no alto de um terraço, violentando janela por janela;

vozes surrealistas de crianças levantam voo por detrás de um varal; um urubu solitário espirala, talvez à cata de carniça entre o crepúsculo.

os sonhos que rabiscam velhos mares não são mais daquela finidade antiga; e ser, nesta meia-hora, é descascar sem muita pressa, é interpretar nuances de magia.

que mistério engravida esta cidade?

(texto para escola datado de 30.3.69. A professora dá 10 e escreve: “Lindo”)

A casa era uma ilha ancorada e pela paisagem

passavam os barcos da paixão dispersando o

desejo.

Como quem não quer nada.

teu amor esguio.

(anos 80)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.