Leia o texto integral do abaixo-assinado

O bairro do Bexiga possui uma importância histórica fundamental dentro da cidade de São Paulo. Para a cultura nacional, e nós artistas de teatro em particular, representa o epicentro do teatro brasileiro moderno.É no Bexiga que, historicamente, existe a maior concentração de salas de teatro. Desde as que abrigam os grandes espetáculos até as mais experimentais. Desde o TBC, berço que acolheu o início da nossa modernidade, até o teatro Oficina, responsável por algumas das nossas principais inovações cênicas.É portanto com alegria que recebemos a disposição do Grupo Silvio Santos em investir na área teatral, sobretudo neste nosso reduto tradicional. Contudo, é com tristeza que constatamos que esta iniciativa comprometará definitivamente a memória do nosso Teatro ao descaracterizar o espaço do Teatro Oficina, apesar de tombado pelo Condephaat.O projeto proposto pelo Grupo Silvio Santos descaracteriza completamente o projeto original da arquiteta Lina Bo Bardi, configurado pelos arquitetos Paulo Mendes da Rocha e Edson Elito, confinando-o num beco sem saída.Acreditamos numa adequação deses projetos, capaz de sintonizar a bem-vinda integração do Grupo Silvio Santos na área teatral com a manutenção do entorno do projeto original, preservando a memória cultural da nossa cidade e do nosso País, e garantindo assim condições para que o Oficina continue sua ação inovadora e norteadora de nosso teatro.Nós, abaixo assinados, apelamos ao gesto magnânimo e ao espírito público do sr. Silvio Santos para que entre em acordo com os artistas brasileiros, visando a preservação e a ampliação de um dos principais símbolos inovadores de nosso Teatro, tal como já o fizeram Assis Chateaubriant e Cicillo Matarazzo, entre outros.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2000 | 02h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.