Legista altera causa oficial da morte da atriz Natalie Wood

O médico legista do condado de Los Angeles atualizou a certidão de óbito da atriz Natalie Wood, morta há 30 anos, para mudar a causa oficial de sua morte para "afogamento e outros fatores indeterminados" no lugar de afogamento acidental, disseram autoridades nesta quarta-feira.

STEVE GORMAN, Reuters

22 de agosto de 2012 | 21h39

A mudança foi feita algumas semanas atrás e acontece nove meses depois que detetives da divisão de homicídios do Departamento Policial de Los Angeles disseram que estavam reabrindo o inquérito sobre a morte da atriz, aos 43 anos, afirmou o porta-voz policial Steve Whitmore.

O corpo de Natalie foi encontrado boiando em uma ilha de Santa Catalina, na costa sul da Califórnia, em 1981, depois de passar a noite a bordo de um iate jantando e bebendo com o marido, o astro da televisão Robert Wagner, e o ator Christopher Walken.

Inicialmente, o legista determinou que a morte da atriz indicada ao Oscar, que atuou em "Amor, Sublime Amor" e "Clamor do Sexo", havia sido provocada por um afogamento acidental.

A revisão da certidão de óbito reflete perguntas não respondidas sobre a morte da atriz e o fato de que as autoridades consideram a questão como um caso aberto.

Whitmore se recusou a discutir qualquer nova evidência que possa ter sido descoberta, mas disse que a investigação continuava.

Em novembro, quando foi anunciado que dois detetives da área de homicídios foram escalados para reexaminar novas pistas, o departamento policial disse que os investigadores receberam informações substanciais o suficiente para justificar um novo olhar sobre o caso.

Mas o departamento negou relatos de que Wagner, agora com 82 anos, era um suspeito.

A reabertura do inquérito coincidiu com a transmissão de uma edição especial do programa da CBS "48 Horas" sobre o mistério em parceria com a revista Vanity Fair.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTENATALIEOBITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.